“Usurparam a competência do Supremo Tribunal Federal e as atribuições do Procurador-Geral da República”, afirmam advogados
Ricardo Stuckert
“Usurparam a competência do Supremo Tribunal Federal e as atribuições do Procurador-Geral da República”, afirmam advogados

Os advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) analisam a possibilidade de usar como prova o livro do ex-procurador geral da República Rodrigo Janot . Em um dos trechos de "Nada Menos que Tudo", haveria indícios de que petista foi perseguido pela força-tarefa da Operação Lava Jato .

Leia também:Lula deve pagar multa de R$ 5 milhões para conseguir migrar de regime

Segundo relato, Deltan Dellagnol e outros quatro procuradores da Lava Jato teriam pressionado Janot, em setembro de 2016, a denunciar Lula por organização criminosa. Janot teria negado, por considerar a suspeita fraca.

"Você está querendo interferir no nosso trabalho!", contestaria Dellagnol , que na sequência teria acusado Lula de lavagem de dinheiro sem consultar Janot ou sua equipe.

Leia também: Janot se queixa de levar 'muita porrada' após divulgação de livro

Você viu?

 O evento é narrado por Janot no capítulo "O objeto de desejo chamado Lula".

Cristiano Martins e Valeska Marins, advogados de Lula , estudam usar o livro para provar que ocorreu lawfare  – quando o direito é utilizado como estratégia para distruir um inimigo, conforme a defesa do petista supõe que aconteceu. 

 “O livro mostra que estávamos com a razão. Vamos analisar o fato novo e a sua repercussão jurídica”, explicaram em nota ao UOL.

Leia também: CCJ ainda deve 'estudar' retomada de pacote anticrime de Moro

Segundo os advogados de Lula , o relato de Janot confirma que os procuradores da Lava Jato “usurparam a competência do Supremo Tribunal Federal e as atribuições do Procurador-Geral da República”.

    Leia tudo sobre: Lula

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários