Valor será destinado para garantir apoio a pautas do Executivo no Senado
Roque de Sá Agência Senado - 18.9.19
Valor será destinado para garantir apoio a pautas do Executivo no Senado

Pressionado por senadores, o governo estuda um novo projeto de liberação de crédito no  Orçamento  . O valor deve ser usado para pagar emendas e verbas extraorçamentárias a senadores para garantir apoio ao governo em votações importantes que devem acontecer na próxima semana.

Na pauta do Congresso Nacional , há um projeto apresentado pelo Executivo em agosto que abre um crédito de R$ 3 bilhões no Orçamento. O valor deve ser usado para quitar o compromisso com deputados que votaram a favor da reforma da Previdência.

Leia também: Alcolumbre e líderes apresentam recurso contra operação no Senado

Depois disso, porém, seria preciso atender os senadores, que pleiteiam uma liberação de até R$ 5 bilhões. Na Casa, além da Previdência , será votada a indicação de Eduardo Bolsonaro à embaixada do Brasil em Washington, além do nome de Augusto Aras à Procuradoria-Geral da República .

Nos bastidores, senadores se valem dessas duas votações para argumentar que precisam de uma liberação maior que a Câmara . Vice-líder de governo no Senado, Izalci Lucas (PSDB-DF) afirmou haver um acordo para o governo enviar um novo pedido de liberação de crédito suplementar (PLN) para pagar emendas parlamentares de senadores.

Você viu?

"O (PLN) do Senado não veio ainda. Está em elaboração, falta vir. Mas há um combinado para o governo mandar", disse, sem responder qual seria o valor.

Leia também: Davi Alcolumbre perde paciência com líderes e decide pautar projetos sozinho

A reunião da Comissão de Constituição e Justiça ( CCJ ) que iria votar a reforma da Previdência nesta terça-feira foi adiada para a semana que vem. Alcolumbre convocou uma sessão do Congresso para a tarde de hoje que deve derrubar parte dos vetos à Lei de Abuso de Autoridade.

Parlamentares interpretam a convocação da sessão como um recado para o governo. Além da questão das emendas, é um gesto para demonstrar a insatisfação com o mandado de busca e apreensão contra o líder do governo, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), na semana passada.

Leia também: Sete senadores escolhidos para o Conselho de Ética são investigados

Na Câmara dos Deputados, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni , prometeu até R$ 40 milhões para prefeituras indicadas por deputados para quem votasse a favor da reforma. Os municípios foram indicados para receber verbas extraorçamentárias, ou seja, os valores não ficam vinculados aos nomes dos deputados.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários