Tamanho do texto

Para Lula, Bolsonaro faz um "governo de destruição, sem nenhuma visão de futuro"; ex-presidente concedeu entrevista ao jornal francês Le Monde

Lula arrow-options
Divulgação/Ricardo Stuckert
Ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva deu sua primeira entrevista a um jornal francês nesta quarta (11)

"O presidente Jair Bolsonaro não faz nada. Ele destrói", afirmou o ex-presidente Lula em entrevista ao jornal francês Le Monde , publicada nesta quinta-feira (12). Ele também disse que o governo Bolsonaro "é um governo de destruição, sem nenhuma visão de futuro, sem programa, que não é qualificado para o poder".

Leia também: Gebran conclui voto sobre recurso de Lula no caso do sítio de Atibaia

Lula  considera que a eleição de Jair Bolsonaro para a Presidência da República é “antes de tudo o resultado de uma rejeição da política”.

Na entrevista ao periódico francês, Lula tratou sobre questões como educação, direitos dos trabalhadores, meio ambiente e direitos humanos, áreas que ele considera serem renegadas pelo governo Bolsonaro .

"É preciso que os brasileiros se mobilizem", disse o ex-presidente em referência às queimadas na Amazônia. Ele também defendeu que a Amazônia não deve ser internacionalizada, como propôs o presidente da França Emmanuel Macron. "A Amazônia é propriedade do Brasil. Faz parte do patrimônio brasileiro. E é o Brasil que deve cuidar dela".

Leia também: Deputado do PSL é denunciado por chamar PT de “partido de traficantes”

Inocência

Ao Le Monde , Lula insistiu mais uma vez que é inocente. Ele reforçou as críticas ao sistema de Justiça, que já haviam sido feitas em entrevistas anteriores. “No meu caso, o judiciário não foi usado para a justiça, mas para a política”, afirmou.

Lula já está perto de cumprir um sexto de sua pena de oito anos e dez meses, o que significa que ele poderia sair em liberdade condicional, usando uma tornozeleira eletrônica. O petista, no entanto, rejeita esta possibilidade. 

Leia também: Bolsonaro apresenta “recuperação progressiva” de movimentos intestinais

“Minha casa não é uma prisão. E as tornozeleiras eletrônicas são boas para os pombos-correio. Tudo que eu quero é que reconheçam minha inocência", afirmou. Ele pede “apenas justiça!”.


    Leia tudo sobre: Lula