Tamanho do texto

Parte mais vocal do eleitorado do presidente quer que projeto seja vetado

Bolsonaro arrow-options
Carolina Antunes/PR
Bolsonaro defende lei de abuso de autoridade: "Fui vítima do Ministério Público"

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira que membros do Ministério Público cometem abuso de autoridade em diversas ocasiões e disse que ele mesmo foi vítima disso. Bolsonaro fez o comentário enquanto falava dos vetos que deve fazer no projeto sobre o tema aprovado recentemente no Congresso.

Leia também: Um terço dos eleitores acha que Bolsonaro não age como deveria, revela pesquisa

"Deixo bem claro. O Ministério Público, em muitas oportunidades, abusa. Abusa. Eu sou uma vítima disso. Respondi tantos processos no Supremo por abuso de autoridade. Isso não pode acontecer. Todo o MP, eu sei que grande parte é responsável, mas individualmente alguns abusam", disse Bolsonaro , na saída do Palácio da Alvorada.

O prazo para que Bolsonaro apresente o próprio parecer em relação ao projeto que prevê punições para o abuso de autoridade termina essa semana. Ele disse durante o fim de semana que pretende vetar nove pontos do projeto, e que está analisando ainda um décimo. O único trecho que o presidente já adiantou que irá vetar é que prevê punição para o uso irregulares de algemas.

Leia também: Deputado herdeiro da família real também foi alvo de hackers, revela PF

"Nove estão garantidos, vou discutir o último", voltou a repetir nesta segunda. A parte mais vocal do eleitorado do presidente pede para que o projeto seja integralmente vetado.

Líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), afirmou na semana passada que Bolsonaro disse estar "entre a cruz e a espada" na análise dos vetos do projeto. De acordo com a parlamentar, o presidente não queria desagradar os eleitores, mas também não gostaria de comprar uma briga com os congressistas, que enxergam o projeto com bons olhos.