Tamanho do texto

Presidente afirmou que medida beneficiará militares e civis que, segundo ele, foram condenador por 'pressão da mídia': "A caneta vai funcionar"

Bolsonaro arrow-options
Isac Nóbrega/PR - 26.7.19
Bolsonaro durante aniversário da PM-GO e formatura da 45ª Turma de Aspirantes

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou nesta sexta-feira (30) que o  indulto que está planejando para policiais vai incluir "nomes surpreendentes", sem explicar a quem estava se referindo. De acordo com ele, a medida vai incluir tanto militares quanto civis que, segundo ele, foram condenados por "pressão da mídia".

"Olha, tem muito policial no Brasil, civil e militar, que foi condenado por pressão da mídia. E esse pessoal no final do ano, se Deus me permitir e eu estando vivo, vai ser indultado. Nomes surpreendentes, inclusive. Pessoas que honraram a farda, defenderam a vida de terceiros, e foram condenados por pressão da mídia. Então, esse pessoal... A caneta Compactor, não é mais BIC , vai funcionar", afirmou Bolsonaro .

A intenção foi anunciada na quinta-feira (29), durante transmissão ao vivo nas redes sociais. Bolsonaro pediu para receber indicações de pessoas que podem ser beneficiadas pelo indulto .

"No final do ano, espera aí. Aqueles indultos, vou escolher colegas policiais presos injustamente, presos por pressão da mídia. Até o final do ano, vai ter policial nesse indulto aí. Espero que o pessoal me abasteça de nomes. Esses sim, botar na rua", disse.

Leia também: "Não estou atacando Doria, estou mostrando a realidade", diz Bolsonaro

Também na transmissão, ele negou que a medida seja uma "carta branca" para os policiais matarem. "Alguns estão me atacando aí, dizendo que o projeto é carta branca para matar. Isso é para esse idiota, é carta branca para o policial não morrer, o mesmo policial que defende a sua vida", rebateu Bolsonaro .