Jair Bolsonaro
undefined
Jair Bolsonaro disse que não vai ser "poste"

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira que o Estado brasileiro inteiro está "aparelhado", ao comentarmudanças recentes na Polícia Federal (PF) e na Receita Federal.Bolsonaro ainda disse que foi eleito para "interferir" e que não será um "banana" ou um "poste". 

"Olha, fui presidente para interferir mesmo, se é isso que eles querem. Se for para ser um banana ou um poste , estou fora. A Receita Federal a mesma coisa. Tem problemas. Faz um bom trabalho? Faz. Mas tem problemas. E devemos resolver esses problemas. Como? Trocando gente. O Estado todo está aparelhado. Todo, sem exceção", disse Bolsonaro durante sua participação no Congresso Aço Brasil. 

Na semana passada, o presidente anunciou, durante uma entrevista coletiva, a saída do superintendente da PF no Rio de Janeiro, Ricardo Saadi , por problemas de "gestão e produtividade". No dia seguinte, afirmou que o substituto seria o superintendente no Amazonas, Alexandre Silva Saraiva. Ao ser informado de que a direção da PF havia anunciado que o substituto viria, na verdade, de Pernambuco, o presidente disse que a escolha teria que passar por ele, porque ele quem "manda". O tom ficou mais ameno em seguida,quando ele afirmou que "tanto faz" o nome escolhido para a substituição.

Nesta quarta, Bolsonaro adotou outro tom, dizendo que não vê problema: "Alguns (estão) me criticando (porque) estou inferindo na Polícia Federal , na Receita . Olha a Polícia Federal. Eu indiquei o Moro, o Moro indicou o diretor-geral. E dali, no quarto escalão, tem as superintendências. Onde superintendências já foram mudadas no Brasil (nesse ano). Quando aparecer a do Rio de Janeiro agora, fiz uma sugestão de pegar o superintendente de Manaus. 'É melhor o que está em Recife'. Sem problema nenhum. Mas (houve) uma explosão junto à mídia".

Além disso, na segunda-feira (19) a Receita Federal anunciou a substituição do subsecretário-geral do órgão, José Paulo Ramos Fachada Martins da Silva. Ele será substituído pelo auditor fiscal José de Assis Ferraz Neto, da Delegacia da Receita Federal em Recife.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários