Tamanho do texto

Após manifestações, governador fez elogios ao profissionalismo da PM e disse que corporação "está no caminho certo"

Wilson Witzel arrow-options
Cléber Mendes / Agência O Dia
Após críticas, governador ressaltou profissionalismo da PM do Rio

Um evento com a presença do  governador Wilson Witzel foi interrompido por alguns minutos no início da noite desta quarta-feira (14). Manifestantes entraram em protesto nos jardins do Palácio Solar do Jambeiro, no Ingá, em Niterói.

Leia também: Bolsonaro dá recado a Merkel: "Pega essa grana e refloreste a Alemanha, tá ok?"

Gritos de ordem pediam uma revisão na política de segurança que vitimou seis jovens nos últimos cinco dias: "Tem que parar de matar aluno, governador!". Witzel respondeu com elogios à PM e à política de segurança do seu governo. Na sequência, os policiais expulsaram os manifestantes do evento e fecharam o portão do Solar do Jambeiro.

O governador participava de um evento de assinatura de termos de cooperação para ampliação do programa Niterói Presente e às cessões do prédio da Maternidade Municipal Alzira Reis, em Charitas, e do galpão anexo ao Mercado Municipal Feliciano Sodré, no centro de Niterói.

Ele elogiou a ação da Polícia Militar e afirmou que não irá rever a política de segurança de seu governo: "A PM tem agido com profissionalismo. Não retrocederei. Se retrocedermos, teremos mais gente sendo morta. O roubo de cargas e carros e homicídios e roubo de rua sendo reduzido. Não aceitaremos que bandos de assaltantes estivessem na rua assaltando a população".

Leia também: Filhos de Flordelis são indiciados pela morte do pastor Anderson do Carmo

Witzel também disse que está "no caminho certo" e reafirmou o discurso de segurança que defende desde a campanha, além de 'atacar' a imprensa: "é bom ele se render porque senão a gente vai continuar abatendo quem está de fuzil na mão. Lamento a morte de cinco jovens. Também sou pai, mas na semana passada eu enterrei três policiais. Ninguém aqui apareceu lá".