Tamanho do texto

Bolsonaro comparou vitória na votação à vitória do Palmeiras; Câmara dos Deputados concluiu na quarta votação em segundo turno do projeto

Rodrigo Maia e Jair Bolsonaro arrow-options
Marcelo Camargo/ABr
Rodrigo Maia foi um dos principais articuladores políticos da reforma da Previdência

Questionado na manhã desta quinta-feira (8) se ficou satisfeito com a conclusão da votação da reforma da Previdência na noite de quarta-feira, o presidente Jair Bolsonaro parabenizou o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, pela vitória e estendeu o cumprimento aos deputados.

Leia também: Previdência: após a Câmara, quais os próximos passos da reforma no Senado

"Parabéns ao Rodrigo Maia e ao Parlamento pela responsabilidade de votar o tema que traz, de certa forma, algum prejuízo político para cada um deles. Mas o futuro do Brasil é que está em jogo", declarou Bolsonaro .

O presidente também aproveitou a ocasião para fazer uma analogia futebolística, comparando a aprovação da Previdência a uma vitória do Palmeiras. "Bicho, se meu Palmeiras ganhar do Bahia de 1 a 0, agora domingo, tô satisfeito. 1 a 0 ou 10 a 0 é a mesma coisa. 1 a 0 tá bom, tá excelente", disse o presidente a jornalistas, na saída do Palácio da Alvorada.

Da mesma forma, na conclusão da votação, o ministro da Economia, Paulo Guedes, compareceu ao plenário  e, na mesa de trabalho, agradeceu ao presidente da Casa, Rodrigo Maia , dizendo-se "muito satisfeito" com o resultado.

Leia também: Deputado 'infiel' do PSB muda voto sobre Previdência, mas ainda quer ser expulso

Após a análise dos destaques (mudanças propostas pelos parlamentares) na Câmara nesta quarta-feira, o projeto de reforma da Previdência seguirá para o Senado. O texto-base da reforma foi aprovado em primeiro turno no início de julho, por 379 votos a 131. Na madrugada de quarta-feira, a proposta foi novamente aprovada , agora em segundo turno, por 370 votos a 124. A proposta segue, agora, para o Senado com economia de R$ 933 bilhões em dez anos.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, pretende retomar no Senado a discussão para criar no país o regime previdenciário de capitalização , rejeitado pelos deputados na votação da reforma da Previdência. O assunto vem sendo discutido com o futuro relator da reforma na Casa, Tasso Jereissati (PSDB-CE).

Leia também: Tucanos ensaiam discurso de oposição a Bolsonaro no Congresso

Na próxima semana,  Maia  irá instalar a comissão especial para analisar a proposta do governo Bolsonaro de reforma da Previdência dos militares na Câmara. A informação foi dada depois da conclusão da votação das mudança no sistema de aposentadoria dos civis.