Tamanho do texto

Com uma doença degenerativa e sob o risco de parar de falar, general disse que a "luta de algumas pessoas" dependem do uso da maconha medicinal

IstoÉ

General Villas Bôas e Jair Bolsonaro arrow-options
Carolina Antunes/PR - 10.5.19
General Villas Bôas e Jair Bolsonaro durante evento

O general Eduardo Villas Bôas, ex-comandante do Exército e atual assessor do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) do Palácio do Planalto, disse em entrevista ao SBT no último sábado (3) que defende o uso da maconha para fins medicinais, apesar de não fazer uso da substância. O militar tem uma doença degenerativa e corre o risco de parar de falar.

Leia também: "Já empreguei parentes no passado, sim. Qual é o problema?", diz Bolsonaro

“Eu acho, de certa forma, até uma hipocrisia social e vejo a luta de algumas pessoas que dependem disso para minimizar sintomas de efeitos de algumas doenças que têm dificuldade”, disse o Villas Bôas em sua defesa do uso de maconha medicinal.

Leia também: Bolsonaro volta defender a legalização do garimpo na Amazônia

Villas Bôas ainda disse que vai abrir um instituto junto com sua filha para ajudar pessoas que tem o mesmo problema que o dele.