Tamanho do texto

Presidente afirmou que se trata de uma conversa 'reservada' e não deu detalhes. Governo paraguaio cancelou ata diplomática sobre o tema hoje

bolsonaro arrow-options
Marcos Corrêa/PR - 1.8.19
Presidente Jair Bolsonaro durante coletiva com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou nesta quinta-feira (1º) que o governo brasileiro está negociando com o Paraguai um novo acordo sobre o preço da energia da hidrelétrica binacional de Itaipu . Mais cedo, foi cancelada a ata diplomática em que o governo paraguaio havia concordado em pagar mais pela energia. O acordo deflagrou uma grave crise política no país vizinho e pôs o presidente Mario Abdo Benítez sob ameaça de impeachment.

Leia também: Bolsonaro busca aproximação com Paraguai e promete "fazer justiça" com Itaipu

"O Paraguai está em negociação. É reservada a conversa", disse Bolsonaro , após uma entrevista coletiva sobre dados de desmatamento. Questionado novamente sobre o assunto, o presidente disse que o Brasil trabalha para estabelecer um "bom acordo" sobre Itaipu. "Nós queremos um bom contrato com o Paraguai, um bom acordo com o Paraguai. Estamos trabalhando neste sentido", revelou.

Segundo a Chancelaria do país vizinho, Brasil e Paraguai determinaram que as instâncias técnicas de Itaipu redefinam o cronograma de energia a ser contratada pela
Eletrobras e pela Ande (estatal de energia do Paraguai) no período entre 2019 e 2022. De acordo com fontes do Itamaraty, o cancelamento da ata de maio foi uma decisão
paraguaia , que o Brasil aceitou.

A pressão brasileira para que o Paraguai declarasse uma contratação maior da energia dita "garantida", deixando de contar com a chamada "energia excedente", bem mais
barata, levou ao acerto de maio e à crise política que ele provocou. De acordo com técnicos paraguaios, os gastos do país aumentariam em ao menos US$ 200 milhões
anuais.

O cancelamento da ata assinada entre Abdo e Bolsonaro , contudo, conseguiu frear no Congresso do país, ao menos momentaneamente, a tentativa de aprovar um pedido de julgamento político do presidente Abdo Benítez e do seu vice , Hugo Velázquez, acusados pela oposição de traição à pátria.