Tamanho do texto

Presidente discursou em evento em Vitória da Conquista; na semana passada, declaração sobre governadores nordestinos gerou polêmica

Bolsonaro arrow-options
Isac Nóbrega/PR
"Eu amo o nordeste", diz Bolsonaro em inauguração de aeroporto na Bahia

Quatro dias após falas controversas sobre o Nordeste , o presidente Jair Bolsonaro discursou nesta terça-feira (23) em Vitória da Conquista, na Bahia, durante a inauguraração do Aeroporto Glauber Rocha. Em sua fala, o capitão da reserva declarou "amor" aos estados nordestinos.

Leia também: "Temos um presidente que odeia o povo do Nordeste", diz governador da Bahia

"Eu amo o nordeste, afinal de contas, a minha filha, tem em suas veias, sangue de cabra da peste. Cabra da peste de Crateús, o nosso estado aqui, mais pra cima, o nosso Ceará", declarou o presidente, lembrando da origem cearense da família da primeira-dama, Michelle Bolsonaro

Na semana passada, em áudio vazado, o presidente declarou: “daqueles governadores de ‘paraíba ’, o pior é o do Maranhão; tem que ter nada com esse cara”. Alvo de críticas de nordestinos, incluindo artistas e políticos, Bolsonaro disse mais tarde que se referia apenas a Flávio Dino, governador do Maranhão, e João Azevêdo, da Paraíba.

Durante a semana, o presidente negou que a fala tenha sido preconceituosa e minimizou a declaração em conversas com a imprensa.

"Você já reparou que o pessoal fala do Nordeste como se fosse outro país, né? Nordeste, Norte, Centro-Oeste, Sudeste e Sul é um país só", respondeu ao ser questionado se não temia uma reação após as declarações da última sexta-feira "Estamos indo sim para a Bahia, inauguração do aeroporto, sem problema nenhum", completou.

O Nordeste foi a única região em que Bolsonaro perdeu no segundo turno, registrando 30,3% dos votos válidos contra 69,7% de Fernando Haddad (PT). Em maio, o presidente determinou uma força-tarefa na região.

Leia também: Advogado processa Bolsonaro no STF por racismo após fala sobre o Nordeste

Na época,  Bolsonaro  encomendou a cada ministério que apresentasse realizações para os nove estados nordestinos, governados por políticos da oposição. Em busca de aproximação, o presidente queria iniciar uma série de viagens pela região. Em quase sete meses de governo, entretanto, a Bahia é apenas o segundo estado a receber a visita do presidente.