Tamanho do texto

Defesa de Lula alega suspeição do ex-juiz e abuso de autoridade; uma das ações tramita em sigilo no STF e cita as conversas vazadas pelo The Intercept

Moro arrow-options
Marcelo Camargo/Ag Brasil - 1.7.19
Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro

O Supremo Tribunal Federal (STF) deve analisar, no segundo semestre, duas ações que questionam a atuação do ex-juiz Sergio Moro na Operação Lava Jato. A decisão ocorre após o vazamento de conversas entre o então magistrado e procuradores da força-tarefa. As informações são da Folha de S.Paulo

Leia também: Perdido na 'Vaza Jato'? Relembre o que rolou em cada episódio dos vazamentos

A primeira ação a ser analisada é um pedido de habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em que a defesa alega a suspeição de Moro .  O pedido, que tramita na Segunda Turma do Supremo, já havia sido rejeitado pelo TRF-4 e também por cortes superiores, além do próprio ministro do STF Edson Fachin.

No entanto, a ação pode ser reavaliada após um novo recurso da defesa, apresentado em 17 de julho. Além disso, de acordo com o jornal, há uma outra queixa-crime por abuso de autoridade, também apresentada pela defesa de Lula . A ação está nas mãos Fachin e tramita em sigilo. Entre os argumentos utilizados para pedir a reavaliação das ações estão as conversas divulgadas pelo site The Intercept Brasil

Em paralelo à isso, a partir de agora o substituto de Moro, o juiz Luiz Antônio Bonat , já pode dar a sentença do ex-presidente no caso da compra de um imóvel pela Odebrecht, de R$ 12, 5 milhões, para a construção da sede do Instituto Lula, em São Paulo. É o último processo de Lula na Lava Jato de Curitiba. O magistrado, porém, não tem prazo para tomar a decisão. 

    Leia tudo sobre: Lula