Tamanho do texto

Ex-presidente, que agora passa o tempo trabalhando em seu escritório e assistindo Netflix, criticou postura de Moro em vazamentos de mensagens

Michel Temer arrow-options
Aloisio Mauricio/Fotoarena/Agência O Globo - 15.5.19
Michel Temer afirmou que governo Bolsonaro "vai bem"

O ex-presidente Michel Temer afirmou, em entrevista à BBC News Brasil , que Bolsonaro "acaba revelando" o que foi sua gestão. O emedebista disse ainda que o atual governo "vai bem" pois deu sequência ao seu. 

"Eu me recordo, quando presidente da República, eu dizia: 'olha, será bem sucedido o presidente que der sequência àquilo que estou fazendo'. Do jeito que as coisas vão indo, o governo vai bem, porque está dando sequência ao nosso governo", afirmou Temer

O ex-presidente citou como exemplo a reforma da Previdência. De acordo com ele, a proposta só foi aprovada por conta do "debate intensivíssimo" feito durante sua gestão. "No passado houve muita resistência, mas esta resistência foi vencida pela campanha que nós fizemos ao longo do tempo", afirmou.

"Eu dou o exemplo aqui da União Europeia e Mercosul... Como se chegou a isso? Praticamente não deu tempo, digamos assim, no meu governo, de fechar este acordo, mas ele concluiu-se nesse governo. Então, eu digo: o governo Bolsonaro não saiu da linha pré-traçada no meu. E por isso, digamos assim, eu posso falar positivamente em relação ao governo que ele está fazendo", completou o emedebista. 

Leia também: Bolsonaro reconhece que acordo Mercosul-UE se deve 'em parte' a Temer

Questionado sobre os vazamentos de mensagens do ex-juiz Sérgio Moro e procuradores da Lava Jato, Temer afirmou que "não pode" haver diálogo entre as partes e "invocou" a Constituição. "A função do juiz é ser imparte, ou seja, não parte interessada no litígio, daí a imparcialidade", reiterou.

"Agora, se em vez de falar com o promotor, o procurador, (o juiz) tivesse falado com o advogado de defesa "faça isso, faça aquilo", seria impróprio também. O Judiciário há de ser permanentemente imparcial. Eu sou de Tietê, no interior de São Paulo, no meu tempo de menino, o juiz tomava o cuidado de não falar com quase ninguém".

O ex-presidente também criticou a atuação da polícia na condução de sua primeira prisão , em março. Ele afirmou que tudo foi "montado" de uma forma que fosse possível fazer a prisão na rua e classificou seus dias na cadeia como "desagradáveis". "Quando eu fui olhar a decisão, não é nem sentença, é um despacho preliminar, verifiquei que não havia sequer um processo formatado. É como se o juiz de Birigui dissesse: 'Vamos mandar prender alguém? Vamos prender esse Michel Temer'", disse. 

Agora fora da política, Temer afirmou à BBC que está passando os dias trabalhando em seu escritório de advocacia e se ocupando da própria defesa, já que é réu em seis processos, acusado de corrupção. Além disso, afirmou que está em dia com as séries da Netflix e passa tempo dedicando-se a escrever um novo romance, que qualifica como "uma ficção da minha biografia".