Tamanho do texto

Prestes a completar 91 anos, Siqueira Campos assume cadeira de Eduardo Gomes, que aceitou convite para ser secretário de Estado em Tocantins

Siqueira Campos arrow-options
Marcos Oliveira/Agência Senado
Siqueira Campos assumiu uma cadeira no Senado aos 90 anos e se tornou o senador mais velho da história do Brasil


A 56ª legislatura do Senado Federal tem o senador mais velho da história do Brasil. Nesta terça-feira (16), tomou posse em uma das cadeiras de Tocantins Siqueira Campos, de 90 anos (completará 91 dia 1º de agosto). O político do DEM era o primeiro suplente de Eduardo Gomes (DEM), que deixou o cargo para assumir a Secretaria de Estado em Tocantins. O mandato na Casa Legislativa vai até 2027.

Leia também: Senado termina semestre sem instalação de Conselho de Ética

Com a posse de Siqueira Campos, José Maranhão (MDB-PB), que tem 85 anos, deixa de ser o senador mais velho da legislatura. A idade faz diferença na Casa para o caso de eleições da Mesa Diretora, quando o atual presidente está entre os candidatos. O parlamentar mais velho, então, assume o comando da votação.

O curioso é que com a chegada de Campos, a 56ª legislatura terá o senador mais novo e o mais velho da história do Brasil. Também eleito por Tocantins, Irajá Abreu (PSD), de 36 anos, foi o mais jovem a tomar posse na função.

Leia também: Comissão aprova voto aberto para eleição de presidentes do Senado e da Câmara

Sobre o senador mais velho

Siqueira Campos arrow-options
Edilson Rodrigues/Agência Senado
Siqueira Campos posou com outros senadores


Como deputado federal, Siqueira Campos conseguiu a autorização, durante a Constituinte, para que o Estado de Tocantins fosse fundado em 1988. No ano seguinte, assumiu como primeiro governador do Estado, cargo que ocupou por mais três mandatos. Também foi deputado federal por Goiás e vereador na cidade de Colinas (GO).

Leia também: CCJ do Senado pode votar projeto que criminaliza 'caixa dois eleitoral'

Líder que deflagrou o movimento popular pela criação dos estados do Tocantins e do Amapá, durante a Assembleia Constituinte de 1988, Siqueira Campos defendeu, na cerimônia de posse, a criação de mais 13 estados no Brasil.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), transformou a sessão de posse em sessão especial e se disse privilegiado por presidir o Senado em um momento que classificou como “histórico”.

"Não canso de repetir que este, sim, é o momento histórico de prestígio, de homenagem, de honraria ao homem público que orgulha o estado do Tocantins e todo o Brasil. Muito obrigado por esta oportunidade de estar aqui neste momento", afirmou Alcolumbre.

Em seu discurso, emocionado, Siqueira Campos citou verso do poeta Carlos Drummond de Andrade para dizer como se sente: “Tenho duas mãos e o sentimento do mundo”. O senador afirmou que é preciso ser solidário ao povo brasileiro, especialmente aos pobres. Também defendeu a criação de mais 13 estados, que, segundo ele, seria o mínimo, pois o ideal seria que o Brasil tivesse 50 estados.

"Temos um território imenso. Imaginem que, no Pará, há uma cidade cuja jurisdição é maior que a do estado do Tocantins praticamente. Refiro-me à cidade de Altamira", disse, sustentando que é preciso mudar essa realidade.

José Wilson Siqueira Campos nasceu em agosto de 1928 e completará 91 anos no próximo dia 1º de agosto. Superou Edison Lobão como o senador mais velho da história do Brasil.