Tamanho do texto

Deltan Dallagnol e Roberson Pozzobon, procuradores da força tarefa da Lava Jato que tiveram conversas divulgadas, estiveram presentes na reunião

Dodge arrow-options
Divulgação/ José Cruz/ Agência Brasil
Em meio a crise na Lava Jato, Dodge se reúne com procuradores e promete apoio

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, prometeu manter o apoio institucional e administrativo à Operação Lava Jato. O compromisso foi feito nesta terça-feira (16) a oito integrantes da força-tarefa da Lava Jato no Paraná, que se reuniram com ela em Brasília. A demonstração de apoio ocorre em um momento crítico na relação entre ela e os procuradores ligados à operação.

Leia também: Moro aceitou participar de reunião para discutir futuro da Lava Jato, diz site

A reunião entre Dodge e os procuradores durou aproximadamente três horas e terminou por volta das 17h40. Entre os presentes, estavam Deltan Dallagnol e Roberson Pozzobon. O encontro ocorre quatro dias depois de o procurador José Alfredo de Paula ter deixado a coordenação da Lava Jato junto à PGR.

Ele era um dos principais nomes da gestão de Dodge. A interlocutores, ele registrou uma série de descontentamentos, entre eles, o andamento dos casos da operação que tramitam na PGR e a falta de uma demonstração de apoio por parte de Dodge a procuradores que têm sido atacados depois da divulgação de diálogos por reportagens publicadas pelo site The Intercept Brasil .

Leia também: Dallagnol pediu a Moro dinheiro da Vara Federal para pagar publicidade, diz site

Há mais de um mês, o site e outros veículos vêm publicando reportagens com base em supostas conversas mantidas entre procuradores da Lava Jato e o ex-juiz da 13ª Vara Federal do Paraná e atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro .

No último domingo, uma reportagem da Folha de S.Paulo , em parceria com o site The Intercept , mostrou trechos de diálogos mantidos por Deltan, nos quais ele estaria planejando abrir uma empresa em nome de familiares para fazer palestras remuneradas. De acordo com a reportagem, Deltan estaria aproveitando a popularidade oriunda de sua atuação na Lava Jato para lucrar com a sua participação em eventos.

Nesta terça, o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP)  aceitou uma representação feita pelo PT para que o órgão investigue as palestras ministradas por Deltan. Desde o início da publicação das reportagens, tanto os procuradores quanto  Moro vêm adotando a mesma linha de defesa colocando em dúvida a veracidade das mensagens e afirmando que os seus conteúdos não revelam condutas irregulares.

A manifestação de apoio de Dodge à equipe da Lava Jato no Paraná também ocorre após a repercussão negativa de uma  nota divulgada na segunda-feira (15) pela Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, órgão vinculado ao Ministério Público Federal (MPF), em tom crítico à atuação dos procuradores. A nota dizia, por exemplo, que o combate à corrupção não poderia ser feito com a “quebra” de princípios constitucionais .

Entre vários procuradores da instituição, a nota foi interpretada como uma demonstração de falta de apoio aos colegas do Paraná. Também nesta terça,  coordenador da Lava Jato na PGR deixou o cargo por insatisfação com Raquel Dodge .