Tamanho do texto

Manoel da Silva Rodrigues está sendo investigado na Espanha e no Brasil por tráfico de drogas; o sargento transportava 39 kg de cocaína em avião da FAB

Agência Brasil

sargento Silva Rodrigues arrow-options
Reprodução/redes sociais
Silva Rodrigues já fez 29 viagens e acompanhou três presidentes

A defesa do sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues entrou nesta sexta-feira (12) com pedido de habeas corpus no Superior Tribunal Militar (STM) para ter acesso à investigação aberta no Brasil contra o militar. No dia 25 de junho, Rodrigues foi preso em Sevilha, na Espanha, com 39 quilos de cocaína, quando passava pelo controle alfandegário.

Leia também: Doria parabeniza envolvidos na reforma, mas não cita Bolsonaro

O advogado Carlos Alexandre Klomfahs, responsável pelo caso do sargento, sustenta no tribunal militar que não conseguiu ter acesso à investigação militar que está em andamento na Aeronáutica. O caso deve ser analisado pelo vice-presidente do STM, ministro José Barroso Filho. No Brasil, os fatos também são investigados pela Polícia Federal (PF).

Quando foi preso, o Silva Rodrigues havia partido do Brasil em missão de apoio à viagem presidencial ao Japão para a reunião do G-20, integrando a tripulação que ficaria em Sevilha. Ele foi acusado pelas autoridades espanholas por crime contra a saúde pública, categoria em que se encontra o tráfico de drogas .

Leia também: Ministro diz que Bolsonaro poderia ter esperado para falar de indicação do filho

De acordo com a FAB , o inquérito para apurar o episódio deve ficar pronto em até 40 dias. O resultado deve ser encaminhado ao Ministério Público Militar (MPM), que poderá, então, abrir uma denúncia-crime contra o sargento da Aeronáutica.