Tamanho do texto

Parlamentar já se posicionou publicamente a favor de mudanças nas regras para aposentadoria; em primeiro mandato, ela lidera grupo que pensa igual

A deputada federal Tábata Amaral (PDT-SP) é
Luis Macedo/Câmara dos Deputados
A deputada federal Tábata Amaral (PDT-SP) é "sangue novo" na Câmara

A deputada Tabata Amaral (PDT-SP), que vem construindo um primeiro mandato de muitas polêmicas, está sendo ameaçada pelo seu partido e pode ser obrigada a deixar a legenda em breve. Isso porque, diferente da maior parte do PDT, Tabata se posiciona a favor da reforma da Previdência e já foi avisada que, se votar a favor das mudanças, acabará expulsa. 

Leia também: Bolsonaro chama Maia de 'general' e crê em aprovação da reforma antes do recesso

De acordo com o jornal O Estado de S.Paulo , o presidente do PDT, Carlos Lupi, teria dito, em reunião realizada nesta terça-feira (9), que aqueles que apoiarem as mudanças nas regras de aposentadoria propostas pelo governo de Jair Bolsonaro serão punidos com o desligamento do partido. Atualmente, Tabata Amaral não só tem assumido esse posicionamento favorável à reforma da Previdência, como tem liderado um grupo dentro do PDT que pensa semelhante.

Ainda ontem, o ex-ministro e candidato derrotado do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, chegou a telefonar pessoalmente para a deputada, a fim de orientá-la a repensar seu posicionamento. Mais tarde, chegou até a publicar uma mensagem no Twitter sobre o assunto.

Leia também: Com votação da Previdência à vista, Bolsonaro visitará a Câmara nesta quarta

"A tentativa de compra de votos por dinheiro de emendas ou ofertas mentirosas a Estados e municípios ronda, neste momento, até os partidos de oposição", escreveu Ciro Gomes. "Defenderei que o PDT expulse aqueles que votarem contra o povo nesta reforma da Previdência elitista", completou.

Tabata Amaral , que tem apenas 25 anos, está em seu primeiro mandato e é apadrinhada por Ciro. Ela ganhou notoriedade nacional em março deste ano, quando pressionou o então ministro da Educação , Ricardo Vélez, sobre as propostas da pasta. “Cadê os projetos?”, questionou Tábata a Vélez. A parlamentar é astrofísica e cientista política.