Tamanho do texto

Na quinta-feira, o presidente defendeu o trabalho infantil, dizendo que colheu milho em fazenda aos nove anos; tema tem gerado polêmica

Bolsonaro
Alan Santos/PR
Bolsonaro diz que teme ser massacrado se propor a descriminalização do trabalho infantil

O presidente  Jair Bolsonaro voltou ao polêmico tema do trabalho infantil , que havia defendido em live no Facebook. Neste sábado (6), ele publicou em sua conta no Twitter um vídeo mostrando um menino de 11 cortando a grama na Casa Branca, sob o olhar de aprovação do presidente Donald Trump.

Leia também: Após apelo do Papa, Bolsonaro rebate: "Brasil é a virgem que todo tarado quer"

Segundo o narrador, o garoto teria uma "empresa de cortar grama" e escreveu a Trump dizendo que sonhava em cuidar do jardim do presidente. Bolsonaro comentou somente "O trabalho enobrece".

Em transmissão ao vivo nessa quinta-feira (4), o presidente defendeu o trabalho infantil . Ele contou que, aos nove anos, colhia milho numa fazenda administrada pelo pai, e que isso não o impediu de estudar.

"Olha só, trabalhando com nove, dez anos de idade na fazenda", disse Bolsonaro, como se imitasse um crítico. "Não fui prejudicado em nada. Quando um moleque de nove, dez anos vai trabalhar em algum lugar tá cheio de gente aí "trabalho escravo, não sei o quê, trabalho infantil". Agora quando tá fumando um paralelepípedo de crack, ninguém fala nada".

No dia seguinte, ele voltou ao assunto em redes sociais, dizendo que estava sendo atacado pela esquerda pela defesa do trabalho para crianças .

Leia também: Irmão de Bolsonaro já disse que pai 'nunca deixou um filho trabalhar'

Segundo os últimos dados da Pnad Contínua divulgados pelo IBGE e referentes a 2016, o  Brasil tem 1,8 milhão de crianças e jovens com idade entre 5 e 17 anos que trabalham e não deveriam. Do total de crianças que estavam no mercado de trabalho em 2016, 34,7% eram do sexo feminino e 65,3%, do sexo masculino.