Tamanho do texto

Novo vazamento mostra conversa registrada no dia 13 de julho de 2015, na qual o procurador teria comemorado o resultado de encontro com Fachin

fachin
Marcelo Camargo/Arquivo/Agência Brasil
Ministro é citado em vazamentos: 'conversei 45 m com o Edson Fachin. Aha uhu o Fachin é nosso', disse Dallagnol

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), teve seu nome citado nas conversas vazadas, nesta sexta-feira (5), em reportagem da revista Veja em parceria com o site The Intercept entre procuradores da Operação Lava Jato e o então juiz federal e atual ministro da Justiça, Sergio Moro. Segundo a revista, o ministro, que é relator da Lava Jato no STF, é definido como "nosso" por Dallagnol, o coordenador da Força-Tarefa da operação.

Segundo a revista, em um conversa registrada entre Dallagnol e seus colegas do MPF, no dia 13 de julho de 2015, o procurador teria comemorado um encontro com o ministro Edson Fachin . "Caros, conversei 45 m com o Fachin. Aha uhu o Fachin é nosso", vibrou Dallagnol. A conversa é uma das que foram divulgadas hoje, no caso que popularmente ganhou o apelido de "Vaza Jato". 

Ainda segundo os novos vazamentos, Sergio Moro teria pedido, em mensagens diretas a procuradores da Força-Tarefa da  Lava Jato  , que provas fossem incluídas em processos que ele mesmo julgaria depois. Além disso, o ex-juiz teria mandado acelerar ou retardar operações a seu desejo e fez pressão para que determinadas delações não andassem.

Leia também: Lava Jato desconfiou de peça-chave no processo contra Lula, indicam mensagens 

Assim, segundo a revista, o agora ministro de Bolsonaro teria ultrapassado suas funções como juiz e atuado como chefe do Ministério Público Federal (MPF).

Todas as conversas vazadas nas reportagens produzidas pelo, e em parceria com o,  The Intercept  ocorreram no aplicativo de mensagens Telegram . De acordo com a reportagem da  Veja  , os arquivos que chegaram ao site de forma anônima somam 1 milhão de mensagens e somam mais de 30 mil páginas de conteúdo

Leia também: Em novo vazamento, Moro chama de "tontos" militantes do MBL que o defenderam