Tamanho do texto

Caso aconteceu em março de 2017, quando Ciro teria chamado o governador paulista de "farsante" e que "enriqueceu fortemente com dinheiro público"

Ciro Gomes
José Cruz/ABr
Justiça ordena que Ciro Gomes responda processo por difamação contra Doria

A 3ª Turma do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios determinou que Ciro Gomes (PDT) responda a um processo por difamação contra o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). A decisão foi tomada na última quarta-feira (3) e a informação foi publicada pelo Diário de Pernambuco .

Leia também: Holiday chama Ciro Gomes de "covarde" e promete processá-lo novamente

O caso aconteceu em 18 de março de 2017, quando Ciro Gomes , depois da Conferência Nacional do PDT, em Brasília, teria chamado Doria, então prefeito de São Paulo, de "farsante" e que "enriqueceu fortemente com dinheiro público". O tucano entrou com processo contra o pedetista por calúnia e difamação.

O pedido foi rejeitado na 1ª instância porque o juiz entendeu que o ex-presidenciável não havia ultrapassado o limite da liberdade de expressão, pois, por ambos serem conhecidos no meio político, opiniões e embates faziam parte do jogo, ainda mais próximo à corrida eleitoral.

Doria recorreu e alegou que aquela não era a primeira vez que o pedetista o ofendia. O ex-governador do Ceará disse em sua defesa que não houve calúnia ou difamação e utilizou-se do argumento de que o governador paulista está naturalmente mais suscetível ao recebimento de críticas.

Leia também: Ciro discute com Maria do Rosário em evento: “Conheço vocês, unidade é o cac***”

A 3ª Turma, então, descartou o processo de calúnia, mas aceitou o de difamação pela fala de Ciro Gomes de que Doria enriqueceu com dinheiro público, porque isso "visaria ofender a reputação ou a boa fama do cidadão/querelante".