Tamanho do texto

Deputada estadual defendeu publicação de informações vazadas, dizendo não ver sinal de falsificação de provas, mas apoiou o hoje ministro da Justiça

 deputada estadual Janaina Paschoal
Divulgação/Alesp
"Nenhum dos diálogos, por enquanto, sugere falsificação de provas ou acusações", escreve Janaina Paschoal no Twitter

A deputada estadual Janaina Paschoal (PSL) usou o Twitter, neste domingo (23), para comentar o  vazamento das conversas divulgadas pelo jornal Folha de S.Paulo e pelo site  The Intercept Brasil entre o procurador Deltan Dellagnol e o atual ministro da Justiça, Sergio Moro , sobre a Operação Lava Jato . De acordo com Janaina, “nenhum dos diálogos, por enquanto, sugere falsificação de provas ou acusações.”

Leia também: Moro desiste de ir à audiência na Câmara para falar sobre mensagens vazadas

As trocas de mensagens entre Moro e Dallagnol passaram a ser divulgadas no começo de junho e, entre as principais conversas, ocorridas entre 2015 e 2018, estão as que dizem respeito à atuação do Ministério Público Federal (MPF) e Moro, que era o juiz responsável por julgar os casos da operação referentes a desvios da Petrobras, incluindo o caso do tríplex cujas reformas foram tratadas como propina atribuída ao ex-presidente Lula.

Leia também: MBL mantém apoio a Moro e minimiza rótulo de "tontos" atribuído a militantes

Na publicação feita neste domingo na rede social, Janaina Paschoal defendeu que as conversas "evidenciam o firme desejo de responsabilizar culpados, nada além disso". Em outra postagem, feita minutos depois, a deputada estadual escreve: “no mérito, não há nenhum indício de prova forjada para incriminar quem quer que seja”.