Tamanho do texto

Presidente voltou a dizer que ministro da Justiça é 'patrimônio nacional' e elogiou o desempenho do ex-juiz durante sabatina no Senado nesta quarta

Bolsonaro dando entrevista
Isac Nóbrega/PR
Após vazamento de mensagens, Bolsonaro tem apoiado Sergio Moro

Questionado nesta sexta-feira sobre os vazamentos de novas mensagens de autoridades ligadas à Operação Lava Jato,entre eles o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro,o presidente Jair Bolsonarovoltou a exaltar o ex-juiz federal e colocou em dúvida a veracidade dos diálogos divulgados pelo site "The Intercept Brasil", afirmando que "ninguém tem certeza da fidelidade do que está publicado ali".

Leia também: Lava Jato repudia vazamentos sobre afastamento de procuradora: "Notícia falsa"

"Os vazamentos em si, ninguém tem certeza da fidelidade do que está publicado ali. Exsitem programas hoje que simulam conversas entre aplicativos, entre duas pessoas que nunca se viram. Então, tudo é possível", acrescentou Bolsonaro .

Na quinta-feira, a Rádio BandNews veiculou novo trecho obtido pelo The Intercept Brasil , em que mensagens indicam que uma procuradora do Ministério Público Federal (MPF) foi excluída de uma audiência com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva após uma crítica de Moro. A revelação aconteceu após Moro ter dito no Senado, em audiência na Comissão de Constituição e Justiça ( CCJ ), que não teria instruído o MPF nos bastidores da operação.

Para Bolsonaro, o desempenho do ministro diante dos parlamentares, ao longo de mais de 10h de sabatina, foi satisfatório. O presidente considera que Moro "saiu maior do que entrou".

Leia também: Bolsonaro nega saída de Onyx do governo e reconhece dificuldades em articulação

"E pra mim é motivo de honra e orgulho tê-lo em meu ministério. O Sergio Moro é patrimônio nacional. É um homem que, no meu entendimento, conseguiu o ponto de inflexão neste grande mal que assola o país há décadas, que é a questão da corrupção", declarou Bolsonaro .