Tamanho do texto

Demóstenes Meira (PTB), da cidade pernambucana de Camaragibe, é suspeito de fraude, corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa

demostenes meira
Reprodução/TV Globo
Demóstenes Meira (PTB), prefeito de Camaragibe, foi um dos alvos da segunda fase da operação Harpalo da Polícia Civil

O prefeito de Camaragibe, em Pernambuco, foi preso nesta quinta-feira (20) por suspeita de fraude em licitação, corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Demóstenes Meira (PTB), conhecido por ter exigido a presença de servidores comissionados no show de carnaval da sua noiva, foi afastado do cargo. As informações são do "Bom Dia Brasil", da TV Globo .

Leia também: Prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro é preso pela Polícia Federal

Meira foi um dos alvos da segunda fase da operação Harpalo, do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (Draco) da Polícia Civil. Além do prefeito , outras quatro pessoas também tiveram a prisão preventiva decretada: os empresários Severino Ramos da Silva e Carlos Augusto e suas respectivas esposas, Luciana Maria da Silva e Joelma Soares. Os casais são sócios de duas construtoras que estariam envolvidos em fraudes.

"O principal palco dos crimes era a prefeitura de Camaragibe. Meira era o líder da organização. Em nova análise das provas, houve a necessidade das prisões para interromper as ações", afirmou a delegada Pollyane Farias.

A operação começou em dezembro de 2018 e investiga o superfaturamento em contratos da prefeitura de Camaragibe. Segundo informações da delegada Jéssica Ramos, o rombo nos cofres públicos pode chegar a R$ 117 mil em um contrato de R$ 1,2 milhão – em que houve dispensa de licitação – para a manutenção de escolas municipais.

Leia também: Acusado de mandar matar o pai, filho de Flordelis passa mal dentro de cela

Meira, Ramos da Silva e Augusto foram levados para o Centro de Observação e Triagem Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, na região metropolitana do Recife. Já as mulheres seguiram para a Colônia Penal Feminina Bom Pastor, na capital pernambucana.

Show obrigatório

taty dantas
Reprodução/Youtube
Em fevereiro deste ano, Meira determinou que servidores da prefeitura participassem do show da noiva, Taty Dantas

Em fevereiro deste ano, Meira determinou que servidores comissionados da prefeitura participassem do show da noiva, Taty Dantas . Ela é secretária municipal de Assistência Social da cidade. Em áudios que circularam nas redes sociais, foi possível ouvir o prefeito exigindo a participação dos funcionários “para dar força ao evento”.

"Vou fazer um cordão de isolamento ao redor do trio só para ficarem os cargos comissionados. Então, por favor, divulguem e multipliquem. A gente vai filmar e eu vou contar quantos cargos comissionados foram", dizia o prefeito na gravação. "Depois que ela cantar as músicas dela, está todo mundo liberado, mas eu quero todo mundo a partir de meio-dia", continuou.

Meira disse ainda que a estrutura da prefeitura seria usada para apoiar o bloco Canário Elétrico, que teve a participação de Taty Dantas. O cortejo foi organizado pelo secretário municipal de Educação, Denivaldo Freire. "Já chamei 30 guardas municipais para fazer o cordão de isolamento por fora e o resto da equipe dos guardas municipais. São mais 200 homens espalhados no meio da multidão para evitar confusão", anunciou.

Leia também: Prefeito é investigado por convocar servidores a show da noiva no carnaval

Após a divulgação dos áudios, o Ministério Público de Pernambuco (MP-PE) começou a investigar possíveis práticas de improbidade administrativa