Tamanho do texto

Juíza que sentenciou Lula no caso do sítio de Atibaia tem dito a colegas que vazamentos afrontam lei que regulamenta interceptações, segundo revista

Gabriela Hardt
Divulgação - 1º Fórum Nacional sobre Crimes Econômico-Financeiros
Juíza Gabriela Hardt substituiu Sergio Moro em Curitiba temporariamente após juiz virar ministro

A juíza Gabriela Hardt, que substituiu temporariamente o ex-juiz Sergio Moro na 13ª Vara de Curitiba, decidiu que irá processar responsáveis pela divulgação de conversas privadas, caso isso venha a acontecer. A informação é da revista Veja .

Gabriela Hardt , responsável pela sentença que condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no caso do sítio de Atibaia,  teve o celular invadido por hackers e teme vir a ser a próxima vítima de vazamentos como os publicados nas últimas semanas pelo site The Intercept Brasil.

De acordo com a Veja , a magistrada tem dito a colegas que a eventual divulgação de conversas particulares consitui afronta à lei federal nº 9.296/96, segundo a qual "constitui crime realizar interceptação de comunicações telefônicas, de informática ou telemática, ou quebrar segredo da Justiça, sem autorização judicial ou com objetivos não autorizados em lei". Essa lei prevê pena de reclusão de dois a quatro anos, mais o pagamento de multa.

Leia também: Senado convida Glenn Greenwald para explicar vazamentos da Lava Jato

A Polícia Federal e o Ministério Público Federal já atuam nas investigações da invasão ao celular de Gabriela Hardt . Em nota, a 13ª Vara Federal de Curitiba confirmou que mensagens do aplicativo Telegram da magistrada foram acessadas, mas destacou que Hardt "não verificou informações pessoais sensíveis que tenham sido expostas".

    Leia tudo sobre: Lula