Tamanho do texto

Carta de renúncia foi enviada ao presidente do banco, Joaquim Levy, por diretor após Bolsonaro reclamar publicamente de sua indicação para o órgão

Marcos Barbosa Pinto, diretor de Mercado de Capitais do Banco Nacional do Desenvolvimento Social (BNDES), enviou neste sábado (15) uma carta de renúncia ao presidente da instituição, Joaquim Levy. As informações são da GloboNews .

BNDES
Tânia Riego/Agência Brasil
Joaquim Levy, presidente do BNDES

Pinto afirma que decidiu deixar o cargo em virtude do "descontentamento manifestado" pelo presidente da República. Mais cedo Bolsonaro ameaçara demitir Levy da presidência do BNDES se ele não dispensasse o diretor. "Eu já estou por aqui com o Levy. Falei para ele: demita esse cara na segunda-feira ou eu demito você sem passar pelo Paulo Guedes".

Na conversa com os jornalistas na tarde deste sábado, o presidente disse o que espera de membros de sua equipe. "Um governo tem de ser assim. Quando coloca gente suspeita em cargos importantes e essa pessoa, como o Levy, já vem há algum tempo não sendo leal àquilo que foi combinado e àquilo que ele conhece a meu respeito. Ele está com a cabeça a prêmio já tem algum tempo".

Marcos Barbosa Pinto foi chefe de gabinete de Demian Fiocca na presidência do BNDES (2006-2007). Fiocca era considerado, no governo federal, um homem de confiança de Guido Mantega, ministro da Fazenda nos governos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

O ministro da Economia Paulo Guedes  tentou contemporizar antes da notícia do pedido de demissão de Pinto. "Eu entendo a angústia do presidente. É algo natural ele se sentir agredido quando o presidente do BNDES coloca na diretoria do banco nomes ligados ao PT"