Tamanho do texto

Chefe do GSI levantou a voz, bateu na mesa e afirmou que ex-presidente deveria "tomar prisão perpétua" por ser desonesto; assista ao vídeo

heleno
Marcos Corrêa/PR
Heleno rebateu fala de Lula sobre facada contra Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro respondeu com ironia às declarações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que pôs em dúvida o atentado a faca sofrido pelo então candidato ao Palácio do Planalto em Juiz de Fora (MG), em setembro do ano passado.

Durante café da manhã com jornalistas que cobrem o Palácio do Planalto, Bolsonaro disse que a barriga de Lula "deve ter muita cachaça", rebatendo a menção do petista à ausência de sangue após o ataque contra ele. As declarações do petista foram dadas em entrevista transmitida na quinta-feira pela emissora TVT

"Eu, sinceramente... aquela facada tem uma coisa muito estranha, uma facada que não aparece sangue, que o cara é protegido pelos seguranças do Bolsonaro", comentou Lula, na entrevista.

O  chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), General Heleno, que participava do encontro do presidente com jornalistas, comentou as declarações de Lula. "O presidente comentou que eu o trato de "senhor". Por que eu trato de 'senhor'? Porque eu quero dar o exemplo de uma instituição que, na minha opinião, se não é a mais importante do país, está entre as três mais importantes. É o presidente de um Poder eleito pelo povo, que merece o respeito de toda a sociedade", disse Heleno.

Em seguida, o general se exalta e passa a levantar a voz. Heleno diz ainda que Lula deveria "tomar prisão perpétua" e que o presidente da República é uma "instituição quase sagrada". No vídeo, Bolsonaro parece estar desconfortável com a situação. Assista: 



"Na minha opinião, e eu sempre tive essa opinião. É minha, hein? Não é do presidente, é minha: um presidente da República desonesto tinha que tomar uma prisão perpétua. Isso é um deboche com a sociedade. Um presidente da República desonesto destrói o conceito do país", rebateu.

Leia também: Heleno diz que saída de Santos Cruz do governo foi um "divórcio sem litígio"

"Isto é o cúmulo, ele ainda aventar a hipótese da facada ser mentira. E será que o câncer dele foi mentira? E o câncer da dona Dilma foi mentira? Alguém disse pra ele isso aí, teve peito de dizer isso pra ele? Isso é uma canalhice típica desse sujeito", disse antes de finalizar: "Não mereceu jamais ser presidente da República. O presidente da República é uma instituição quase sagrada. Eu tenho vergonha de um sujeito desse ter sido presidente da República", completou Heleno, que chegou a bater na mesa durante sua fala. 

    Leia tudo sobre: Lula