Tamanho do texto

Presidente afirmou que ofereceu outro cargo para o general no Executivo, mas ele não demonstrou interesse; demissão foi atribuída a embates

Bolsonaro e Santos Cruz
Isac Nóbrega/PR
Bolsonaro demitiu o ministro Santos Cruz nessa quinta-feira

Um dia  após demitir o ministro Carlos Alberto dos Santos Cruz , da Secretaria de Governo, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, durante café da manhã com jornalistas nesta sexta-feira (14),  que ofereceu ao general qualquer cargo que ele quisesse para continuar no Executivo.

Leia também: Relembre os embates e troca de farpas entre Santos Cruz e Carlos Bolsonaro

Santos Cruz, no entanto, não demonstrou  interesse na oferta. "Ele continua no meu coração por assim dizer", disse o presidente, na conversa com os repórteres setoristas do Palácio do Planalto.

Demitido nesta ontem, Santos Cruz foi o terceiro ministro a ser afastado do cargo pelo presidente Jair Bolsonaro nos primeiro seis meses de gestão. Ele será substituído por Luiz Eduardo Ramos, chefe do Comando Militar do Sudeste,  chamado de “meu pitbull” por Bolsonaro.

A demissão  foi atribuída por um auxiliar direto do presidente a uma "falta de alinhamento político-ideológico" e embates com outros integrantes do próprio governo. Em carta divulgada ontem, Santos Cruz deixou claro que saiu do  governo "por decisão" do presidente Jair Bolsonaro. Ele fez agradecimentos e, no final, desejou ao presidente e familiares "saúde, felicidade e sucesso".