Tamanho do texto

Bolsonaro escolhe nome que agrada a ala militar e possui a confiança do Planalto; general tem prestígio no Exército e era Comandante Militar do Sudeste

General Ramos com Jair Bolsonaro
Marcos Corrêa/PR - 18.4.19
Jair Bolsonaro e Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira, o general Ramos


Horas após a demissão do general Santos Cruz da Secretaria de Governo, o presidente Jair Bolsonaro escolheu Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira, o general Ramos para o cargo. Comandante Militar do Sudeste, o militar tem a confiança da Presidência da República e deve manter a boa relação do governo com a ala dos militares.

Leia também: Santos Cruz é demitido da Secretaria de Governo; General Ramos assume a pasta

Natural do Rio de Janeiro, o general Ramos é praça de 8 de março de 1973, tendo sido declarado Aspirante a Oficial da Arma de Infantaria em 14 de dezembro de 1979, e promovido a general  em 25 de novembro de 2017.

O presidente e o novo ministro foram da mesma turma na Escola Preparatória de Cadetes do Exército, em Campinas (SP), a partir de 1973. Sentavam lado a lado. Já na Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), Bolsonaro é da turma de 1977 e Ramos, da turma de 1979.

Entre as principais funções exercidas pelo general no Exército Brasileiro estavam o comando da 11ª Região Militar, em Brasília (DF), e da 1ª Divisão de Exército, no Rio de Janeiro . O general também atuou como Force Commander da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti e Vice-Chefe do Estado-Maior do Exército.

Com a confirmação do desligamento, Santos Cruz se tornou o terceiro a deixar uma pasta em apenas seis meses do governo  Bolsonaro  . Primeiro, Gustavo Bebianno, da Secretaria-Geral da Presidência, foi desligado após um desentendimento com Bolsonaro.

O segundo a cair foi Ricardo Vélez Rodríguez, que não resistiu à uma profunda crise em sua gestão no Ministério da Educação . 

Leia também: Após vazamentos, avaliação de Moro cai 10 pontos, diz pesquisa

O primeiro encontro de Bolsonaro com general Ramos depois de assumir a presidência foi em 18 de abril, quando o presidente visitou sede do Comando Militar do Sudeste, na zona sul de São Paulo antes do feriado de Páscoa. Na ocasião, os dois trocaram elogios.