Tamanho do texto

Bloco da oposição precisa de ao menos 171 assinaturas de deputados e 27 de senadores para que CPMI seja aberta; ministro já pretende ir ao Congresso prestar esclarecimentos sobre as mensagens vazadas com Deltan Dallagnol

Reunião da oposição
Lula Marques/Divulgação - 11.6.19
Reunião da oposição que defendeu a instalação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) para investigar Moro

A oposição protocolou nesta quarta-feira (12) um requerimento de criação de  uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) para apurar e investigar as condutas de magistrados e membros do MPF e da Operação Lava Jato , entre eles o procurador Deltan Dallagnol e o hoje ministro Sergio Moro, após a divulgação de conversas entre os dois, quando Moro ainda era juiz responsável pela operação.

Leia também: "Hackers de juízes não vão interferir na missão", diz Moro sobre queda de crimes

Nesta terça-feira (11), o bloco da oposição formado por PT, PCB, PCdoB, PSOL, PDT e PSB se reuniu e definiu o esquema para criação da CPMI, que precisará ter ao menos 171 assinaturas de deputados e 27 de senadores para que seja aberta, além de pedir o imediato afastamento de Sergio Moro do cargo de ministro da Justiça e Segurança Pública e dos procurados que atuam na força tarefa da Lava Jato.

"As conversas são deploráveis e atentam contra o Estado Democrático de Direito. Revelam também abusos de autoridade conduzidos por quem deveria zelar pela Lei e pela
Constituição Federal. É um ataque sem precedentes na história da República ao direito de defesa e ao devido processo legal", escreveram os partidos em nota.

Leia também: Moro se preocupa com superexposição e desdobramentos de vazamento, diz fonte

Oposição quer convocar Moro para dar explicações

Sergio Moro
Marcelo Camargo/ABr
Sergio Moro deve ir ao Congresso para dar explicações sobre as mensagens com Deltan Dallagnol

A oposição também anunciou que atuará para que Sergio Moro e Deltan Dallagnol sejam convocados para dar explicações no Congresso. No mesmo dia da reunião, a líder do governo no Congresso, deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) anunciou que o ministro Moro irá à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado e que ele negocia sua ida à CCJ da Câmara para falar sobre a troca de mensagens com Dallagnol.

Leia também: Após vazamento sobre Moro, família de Greenwald e Miranda é ameaçada de morte

De acordo com Joice, Moro deve deve ir espontaneamente às comissões, sem a necessidade da convocação planejada pela oposição . As datas sugeridas pelo líder do governo no Senado,
Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), ao presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), para que o ex-juiz da Lava Jato vá ao Senado foram os dias 19 ou 26 de junho.