Tamanho do texto

Fala do presidente acontece um dia depois dele ter levado ao Congresso um projeto de lei que propõe o fim das multas a quem descumprir norma; veja

cadeirinha
shutterstock
Declaração de Bolsonaro sobre as cadeirinhas para crianças foi dada em evento pelo Dia Mundial do Meio Ambiente

O presidente Jair Bolsonaro minimizou nesta quarta-feira (5) a proposta que apresentou ontem ao Congresso Nacional que sugere o fim da obrigatoriedade das cadeirinhas para crianças de até dez anos nos veículos. Em sua fala, o presidente afirmou que 'todo mundo que é pai ou mãe é responsável'. 

" Cadeirinhas dos bebês: todo mundo que é pai e mãe é responsável. Continua valendo a infração para a pontuação. Apenas tirei o dinheiro. Vamos ver se o pessoal vai multar ou é a multa pela multa?", indagou o presidente da República. 

A declaração de Bolsonaro foi dada em evento pelo Dia Mundial do Meio Ambiente, na divisa dos estados de Goiás com Mato Grosso. Na ocasião, o presidente aproveitou para reforçar que seu objetivo é "acabar com a indústria da multa no Brasil".

Leia também: Ameaçada por Bolsonaro, lei da cadeirinha reduziu mortes de crianças no trânsito

Na proposta apresentada ontem, o presidente alterou uma série de pontos do Código de Trânsito Brasileiro. Entre as mudanças, o texto prevê a duplicação do limite de pontos permitidos aos motoristas antes da suspensão da CNH . Bolsonaro aproveitou seu discurso de hoje para dizer que, se dependesse só dele, o novo limite de pontos, no caso dos caminhoneiros, seria ainda maior.

"Apresentamos um projeto para fazer com que a Carteira Nacional de Habilitação passe a sua validade de cinco para dez anos", disse  Bolsonaro  durante discurso. "Para que o caminhoneiro que transporta aqui o que o Centro-Oeste produz não perca sua carteira com 20 pontos, e sim com 40 pontos. Por mim, eu botaria 60 . Porque, afinal de contas, a indústria da multa vai deixar de existir no Brasil", bradou.

Para entrar em vigor, o projeto defendido pelo Planalto precisa ainda ser aprovado pela Câmara e Senado. Dentre as mudanças, está a extensão de cinco para dez anos na validade da CNH e também a extinção da multa no transporte de criança sem cadeirinhas . "A multagem eletrônica vai deixar de existir. Para o bem dos motoristas", afirmou o presidente.