Tamanho do texto

Delegado Waldir e Joice Hasselmann afirmam que Previdência é apenas o começo; presidente da Câmara criticou falta de propostas para o Brasil

 Joice Hasselmann
Marcos Corrêa/PR - 30.5.19
Líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP), rebateu críticas de Rodrigo Maia

O líder do PSL na Câmara , Delegado Waldir (GO), e a líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann(PSL-SP), rebateram o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e afirmaram que a gestão de Jair Bolsonaro tem sim uma agenda para o país. Em entrevista ao Globo , Maia disse que não vê uma agenda formatada pelo governo e que o país caminha para o colapso social.

Ele também negou haver uma proposta concreta de pacto entre os poderes e criticou o ministro da Educação, Abraham Weintraub , por não se comportar como deveria: “Ele não é ator, é ministro”. Na entrevista que concedeu ao Globo na residência oficial, na noite deste domingo, Maia voltou a insistir na necessidade da reforma da Previdência, mas alertou que só ela não resolve os problemas do país.

"Discordo. Tem uma agenda. Existe uma linha. Temos um programa de governo. A agenda do governo é a reforma da Previdência, tributária, pacto federativo. Cada ministério tem sua própria pauta também",  disse Waldir.

A deputada Joice Hasselmann ressaltou que o governo começou agora e "é preciso dar um tempinho".

"O governo tem uma agenda ampla para o país. Acontece que tudo tem um começo, meio e fim. O começo é essa agenda econômica que envolve as grandes reformas para o Brasil, incluindo a principal delas, que é a reforma da Previdência. Então, a agenda do governo não acaba na reforma da Previdência. Na verdade, começa. E aí, a gente tem mais de três anos e meio pela frente. Começamos agora. É preciso dar um tempinho", afirmou Joice.

Leia também: Maia volta a esfriar crise com Bolsonaro: "Ele vai entender que queremos ajudar"

O líder do PSL destacou, no entanto, a importância para o governo do papel de Maia na aprovação da reforma da Previdência e de outras pautas econômicas e que somente após o avanço dessas pautas seria possível encampar outros projetos.