Tamanho do texto

Otávio do Rêgo Barros refutou fala do presidente da Câmara que disse em entrevista que o Executivo não tem uma agenda formulada para o país

 Otávio Rêgo Barros
Isac Nóbrega/PR
Porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros disse que Bolsonaro acredita ter plano de governo

Questionado na noite desta segunda-feira sobre as declarações do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, de que o Executivo não tem uma agenda formulada para o Brasil, o porta-voz do Palácio do Planalto declarou que o presidente Jair Bolsonaro tem "um planejamento bem definido" para desenvolver a economia e combater a corrupção, entre outros feitos. Segundo Otávio do Rêgo Barros, no entanto, Bolsonaro não comentou a fala de Maia. 

O diagnóstico do deputado federal foi feito em entrevista ao Globo, publicada hoje. Para o parlamentar, o país está caminhando para o "colapso social". Ele voltou a insistir na necessidade da reforma da Previdência, mas alertou que só ela não resolve os problemas do Brasil .

“O presidente não comentou a afirmação do presidente da Câmara, porém, acredita que as diversas iniciativas que estão sendo desencadeadas pelos ministérios representam que o governo tem um planejamento bem definido de retomar o crescimento econômico, estimular o desenvolvimento nacional, combater a corrupção e os crimes violentos, além de resgatar valores e tradições da cultura nacional”, declarou o porta-voz.

Na entrevista, Maia foi questionado se a relação com o presidente Bolsonaro melhorou ou vai ser de idas e vindas e respondeu que não sabe.

Leia também: Líderes do governo rebatem Maia e dizem que Bolsonaro tem agenda para o país

“Da minha parte é uma relação de diálogo, de construção de uma pauta que tire o Brasil do caminho que está indo, de um colapso social muito forte. Para onde a gente está indo não é bom. A gente precisa que cada um, com sua atribuição, colabore, principalmente Executivo e Legislativo, para construir pautas além da Previdência, para que a gente possa cuidar desses brasileiros que estão cada vez mais em uma situação que eu tenho chamado de colapso social. Estamos caminhando de forma muito rápida para esse colapso social.”