Tamanho do texto

Ministra abriu a Reunião de Altas Autoridades em Direitos Humanos do Mercosul (RAADH), na Argentina, e citou perseguição a cristãos no mundo

Damares Alves rindo
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
No Mercosul, Damares reclamou de discriminação contra cristãos e apontou corrupção como maior vilã

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, discursou na abertura da Reunião de Altas Autoridades em Direitos Humanos do Mercosul (RAADH), em Buenos Aires, Argentina, nesta sexta-feira (30) e colocou a corrupção como a principal causa de violação de direitos humanos no Brasil nos últimos anos.

Leia também: Bolsonaro reclama de STF 'legislando' e sugere nomeação de ministro evangélico

"À luz do seu inegável impacto negativo sobre o pleno gozo dos direitos e liberdades fundamentais, estamos incluindo o tema da corrupção no centro do debate sobre a defesa dos
direitos humanos no Brasil. A corrupção opera efeitos semelhantes aos causados por armas de destruição em massa. Nenhuma prática causou tanto dano ao povo brasileiro quanto a
corrupção", afirmou Damares .

A ministra também afirmou comprometimento do governo Bolsonaro com a prevenção e o combate ao racismo e à intolerância religiosa, dizendo que cristãos de todo o mundo são
perseguidos e que o governo brasileiro não irá "silenciar" sobre este assunto.

"Como sociedade multirracial, multiétnica e multicultural, o Brasil está firmemente comprometido com a prevenção e o combate ao racismo, à intolerância religiosa e à violência.
Acreditamos que todas as expressões religiosas devem ser igualmente protegidas, assim como a opção de não ter religião alguma", apontou.

Leia também: Nota do MEC causa revolta e discussão deve ir parar no STF; vice-PGR vê violação

"O Brasil está seriamente preocupado com os contínuos atos de intolerância e violência baseados em religião ou crença contra indivíduos. A perseguição, discriminação e violência
contra os cristãos , em todo o mundo, é uma preocupação crescente do governo brasileiro. Não vamos silenciar!", acrescentou.

Outros pontos

Em outro trecho de sua fala, Damares também destacou a instituição do Maio Laranja, de enfrentamento à violência e a exploração sexual de crianças e adolescentes; a campanha
Acolha a Vida, de prevenção ao suicídio e à automutilação; e as alterações no Estatuto da Criança e do Adolescente, que estabeleceram a Semana Nacional de Prevenção à Gravidez
na Adolescência e criaram regras mais rígidas para viagens de menores desacompanhados.

A ministra apontou ainda que, entre as prioridades do governo, estão a proteção da vida "desde a concepção" e o fortalecimento dos vínculos familiares, além do enfrentamento da
discriminação e da violência contra as mulheres, sobretudo o feminicídio e demonstrou preocupação do governo brasileiro com a inclusão de pessoas com deficiência e lembrou iniciativas que visam garantir melhor tratamento às pessoas idosas do País.

Leia também: Bolsonaro reafirma amizade com Queiroz, mas pondera: 'Pode ter coisa errada aí'

"Na área dos direitos da pessoa idosa, já inauguramos cinco unidades do Programa Viver – Envelhecimento Ativo e Saudável, que promove, dentre outros, a educação financeira e a inclusão digital para os idosos. Nossa meta é levar essa iniciativa a cem municípios brasileiros até o final deste ano", destacou Damares .