Tamanho do texto

Presidente foi condenado em ação por danos morais por ter dito na Câmara, em 2014, que a deputada “não merecia ser estuprada por ser muito feia”

Bolsonaro e Maria do Rosário
Marcelo Camargo/Agência Brasil - 14.9.16
Episódio envolvendo Bolsonaro e Maria do Rosário aconteceu em 2014, tendo ganhando ampla repercussão na mídia

A Justiça determinou que o presidente Jair Bolsonaro pague indenização de R$10 mil por danos morais a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) em até 15 dias. A juíza Tatiana Dias da Silva Medina, da 18ª Vara Cível de Brasília, determinou ainda que Bolsonaro publique uma retratação por ter dito, em 2014, que a deputada “não merecia ser estuprada por ser muito feia”. O prazo começa a contar a partir desta sexta-feira. 

O episódio envolvendo Bolsonaro e Maria do Rosário aconteceu em 2014, tendo ganhando ampla repercussão na mídia. O então deputado disse, na época, que não estupraria a parlamentar pois ela não mereceria, “porque ela é muito ruim, porque ela é muito feia, não faz meu gênero, jamais a estupraria. Eu não sou estuprador, mas, se fosse, não iria estuprar, porque não merece”.

A Justiça havia determinado, em 2015, que Bolsonaro deveria pagar uma multa de R$ 10 mil por ofensas disparadas contra a deputada. O presidente recorreu, mas o ministro Marco Aurélio Mello decidiu, em fevereiro deste ano, manter a condenação imposta pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT).

Leia também: Bolsonaro é condenado a pagar R$ 150 mil por declarações contra gays na TV

Em um vídeo postado nas redes sociais, Maria do Rosário diz que "é uma vitória do respeito, da dignidade". A deputada afirma que irá distribuir o dinheiro da indenização para entidades que trabalham pelos direitos das mulheres. Procurada pela reportagem, a assessoria do presidente ainda não se manifestou sobre o assunto.