Tamanho do texto

Senadora tucana condenou fala do ideólogo, que atacou o general Villas Boâs ao dizer que o militar era apenas um "doente preso a uma cadeira de rodas"

Mara Gabrilli
Arquivo pessoal
Mara Gabrilli criticou o ideólogo Olavo Carvalho

O embate entre o filósofo Olavo de Carvalho, considerado o guro ideológico do presidente Jair Bolsonaro, e os membros militares do governo vem causando controvérsia no poder público. A senadora Mara Gabrilli (PSDB - SP) saiu em defesa do ex-comandante do Exército, general Eduardo Villas Boâs, após críticas do filósofo.

Leia também: Em meio a críticas a Olavo de Carvalho, Bolsonaro almoça com militares

Em uma publicação nas redes sociais, Olavo de Carvalho disse que Villas Boâs era um "doente, preso a uma cadeira de rodas". A frase desagradou a senadora, que tetraplégica. "Estar em uma cadeira de rodas não é uma prisão. Ao contrário, a cadeira é o que garante o ir e vir", escreveu Mara Gabrilli .

"Sinônimo de liberdade para quem é bem resolvido consigo mesmo, como o General Villas Bôas, exemplo de grandeza, lucidez e produtividade. É lamentável que num país onde há grandes exemplos de pessoas com deficiência, ainda escutemos falas nocivas que ferem a dignidade humana", continuou a senadora.

Ele ainda atacou o ideólogo. "Quem usa a condição física de uma pessoa para atacá-la vive num cárcere mental, que ao contrário da cadeira de rodas, limita e desconstrói", finalizou.

Entenda a crise entre Olavo de Carvalho e Eduardo Villas Boâs

Olavo de Carvalho
Reprodução/TV Globo
Olavo de Carvalho vem criticando os militares do governo Bolsonaro

Olavo de Carvalho publicou em seu perfil no Facebook nesta terça-feira (7) uma mensagem na qual se refere ao general Eduardo Villas Bôas como “doente preso a cadeira de rodas”. A publicação é uma resposta à  declaração do general para quem Olavo está prestando “enorme desserviço ao país”. Para o guru ideológico de Bolsonaro,  está sendo usado por outros militares.

“Há coisas que nunca esperei ver, mas estou vendo. A pior delas foi altos oficiais militares, acossados por afirmações minhas que não conseguem contestar, irem buscar proteção escondendo-se por trás de um doente preso a uma cadeira de rodas”, escreveu. O filósofo ainda completou a mensagem atacando o líder petista a quem não poupa críticas: “Nem o Lula seria capaz de tamanha baixeza”.

O general Eduardo Villas Bôas foi comandante do Exército Brasileiro entre 2015 e 2019. Ele sofre de uma doença degenerativa chamada esclerose lateral amiotrófica. Atualmente, Villas Bôas está na reserva e ocupa o cargo de assessor especial do ministro Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI).

Leia também: Olavo de Carvalho chama Villas Bôas de "doente preso a cadeira de rodas"

Olavo de Carvalho e Villas Bôas protagonizaram a mais recente confusão do governo Bolsonaro. No Twitter, o general chamou o guru do presidente Jair Bolsonaro de "Trótski de direita". Em seguida, ele veio a público com novas considerações sobre o filósofo.

O próprio Bolsonaro tentou colocar panos quentes na situação e afirmou que "Não tenho nada a ver com general Villas Bôas . Ele é uma pessoa que eu respeito”, disse. Ele também reforçou seu apoio a Olavo de Carvalho  : "continuo admirando Olavo".