Tamanho do texto

Mais cedo, em entrevista a jornalistas, o presidente pediu o fim de desentendimentos públicos entre as alas ideológica e militar do governo

Presidente Jair Bolsonaro
Marcos Corrêa/PR - 7.3.19
Presidente Jair Bolsonaro almoçou com militares em meio a crise interna

O presidente Jair Bolsonaro almoçou nesta terça-feira com o ministro da Defesa,Fernando Azevedo, e comandantes das Forças Armadas no Quartel-General do Exército, em Brasília.

Leia também: Governo cede à pressão de parlamentares e recriará dois ministérios

O encontro ocorreu em meio à crise entre militares que integram o governo e o ideólogo de direita Olavo de Carvalho, que nos últimos dias disparou ataques ao ministro-chefe da Secretaria de Governo, o general da reserva Carlos Alberto dos Santos Cruz. Mais cedo, Bolsonaro pediu o fim de desentendimentos públicos entre as duas alas.

Também participaram do encontro os ministros Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), e Sergio Moro , da Justiça e Segurança Pública. Ninguém falou com a imprensa após o almoço.

A assessoria do Ministério da Defesa divulgou uma nota informando que o presidente chegou ao local após a realização de uma reunião de trabalho do Alto Comando das Forças Armadas. Na ocasião, houve o compartilhamento de informações entre oficiais generais e a apresentação de um balanço das atividades ocorridas nos primeiros quatro meses do ano.

Leia também: Traficante conhecido como "Mata Rindo" é morto em confronto com policiais

Pelas redes sociais, o presidente reiterou que segue admirando Olavo de Carvalho.  “Sua obra em muito contribuiu para que eu chegasse ao governo”, escreveu o presidente em nota postada hoje no Twitter. Para Bolsonaro , sem os trabalhos do guru, “o PT teria retornado ao poder” e, por isso, ele afirma: “Continuo admirando o Olavo”, a quem chama de "ícone". 

A respeito das críticas do filósofo aos generais que integram sua equipe, Bolsonaro escreveu: “Quanto aos desentendimentos públicos com os militares, aos quais devo minha formação e admiração, espero que seja uma página virada por ambas as partes”, afirma.