Tamanho do texto

Vice-presidente comentou o vídeo publicado no canal de Jair Bolsonaro no qual o ideólogo de direita faz críticas a militares que integram o governo

Hamilton Mourão
Romério Cunha/VPR
Vice-presidente Hamilton Mourão rebateu os ataques de Olavo de Carvalho

O vice-presidenteHamilton Mourão comentou nesta segunda-feira o vídeo publicado no canal do presidente Jair Bolsonaro no qual o ideólogo de direita Olavo de Carvalho faz críticas a militares que integram o governo e a escolas geridas pelas Forças Armadas.

Leia também: Líder do governo na Câmara critica Olavo de Carvalho e articulação de Bolsonaro

Alvo de frequentes ataques do escritor, que é tido como guru da família Bolsonaro e se apresenta como filósofo, Mourão ironizou o desafeto e disse que ele deveria se ater à função de astrólogo. O vídeo também foi replicado pelo filho do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro.

Na gravação, postada na noite de sábado e excluída quase 24 horas depois, Carvalho diz que as últimas contribuições dos colégios militares foram as obras de Euclides da Cunha e que, "desde então, foi só cabelo pintado e a voz empostada". Ele afirmou ainda que "os milicos só fizeram cagada" ao entregarem "o país ao comunistas".

"Eu acho que o presidente já falou que ele não viu o que é que era o tal vídeo. Alguém deve ter postado lá na rede dele", respondeu Mourão ao ser questionado sobre a atitude do Bolsonaro de ter postado o vídeo com críticas do Olavo aos militares."E, em relação ao Olavo de Carvalho, mostra o total desconhecimento dele de como funciona o ensino militar. Acho até bom a gente convidar ele para ir nas nossas escolas e conhecer", completou Mourão

"E acho que ele, Olavo de Carvalho, deve se limitar à função que ele desempenha bem, que é de astrólogo. Ele pode continuar a prever as coisas que ele é bom nisso", ironizou o vice-presidente, em referência à antiga ocupação do ideólogo.

Ao ser indagado se o episódio não gera "desgaste desnecessário" para o governo e se não deveria haver um diálogo maior, ele disse que "a questão do Olavo de Carvalho " gera um desconforto pessoal, "mas não de uma forma geral para o governo".

Leia também: Maia mostra otimismo por reformas, mas diz que Bolsonaro precisa aumentar base

"Eu acho que Olavo de Carvalho perdeu o timing, não está entendendo o que está passando no Brasil, até porque ele mora nos Estados Unidos. E ele não está apoiando, não está sendo bom para o governo, realmente", alfinetou Mourão.

O vice-presidente disse ainda que não conversou com Bolsonaro sobre o assunto por achar que ele prefere "manter isso de uma forma a não dar maior repercussão" ao que o ideólogo vem dizendo.