Tamanho do texto

"Amigo do amigo do meu pai" em e-mails da Odebrecht se referia a Toffoli e Lula em negociações da construção da usina hidrelétrica Santo Antônio

Dias Toffoli
Foto/O Globo
Dias Toffoli é citado em emails da Odebrecht

Na semana passada, o empreiteiro Marcelo Odebrecht revelou que o  codinome "amigo do amigo do meu pai"  que aparecia em e-mails da empresa se referiam ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli. De acordo com informações do jornal  Folha de S.Paulo , as mensagens estão ligadas à obra da Usina Santo Antônio, uma das "campeãs" de propina. 

Três delatores afirmaram ao jornal que a mensagem em que Dias Toffoli é citado, escrita em julho de 2017, faz referência à obra da Usina Santo Antônio, que teria envolvido mais de R$ 100 milhões em propinas. No e-mail, Marcelo pergunta a dois executivos da empreiteira: "Afinal, vocês fecharam com o amigo do amigo do meu pai?". 

Segundo os delatores, o amigo de Emílio Odebrecht , pai de Marcelo, era o ex-presidente Lula. Sendo assim, Toffoli seria o amigo de Lula, portanto o "amigo do amigo". Os delatores disseram ainda que a linguagem que Marcelo usou nas mensagens é "típica de quem está tratando de pagamento ilícito". 

Leia também: STF mandou bloquear rede social por comentário que teve quatro curtidas

Na época, Toffoli era chefe da Advocacia Geral da União (AGU) e tentava contestar ações judiciais de ambientalistas e ativistas pela população indígena que queriam barrar a construção da usina hidrelétrica. Os delatores informaram que a propina usada repassada durante a construção da Santo Antônio envolveu partidos como PT, PSDB, PMDB,PP e até sindicalistas da CUT, que receberam o suborno para não entrar em greve. 

O caso levou o ministro Alexandre de Moraes a censurar a revista Crusoé , que revelou a existência do codinome envolvendo o presidente do STF.  Dias Toffoli nega ter qualquer relação com a Odebrecht.