Tamanho do texto

Revista Crusoé e site O Antagonista foram notificados da decisão nesta segunda-feira; matéria denunciava relações do ministro com a Odebrecht

Alexandre de Moraes
Carlos Moura/ SCO/ STF
Alexandre de Moraes determinou retirada de matéria que acusava Toffoli

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF),determinou nesta segunda-feira que a revista digital “Crusoé” e o site “O Antagonista” retirem imediatamente do ar uma reportagem intitulada “O amigo do amigo de meu pai”, que cita o presidente da Corte, ministro Dias Toffoli. Segundo a matéria, o empreiteiro Marcelo Odebrecht identifica que o apelido do título, citado em um e-mail, refere-se a Toffoli. Pela manhã, um oficial de justiça da Corte foi à redação da revista para entregar a cópia da decisão.

Leia também: Justiça extingue ação que determinou bloqueio de R$ 11,5 milhões de Aécio Neves

Moraes estipula multa de R$ 100 mil por dia em caso de desobediência e determinou que a Polícia Federal intime os responsáveis pela revista e pelo site para prestar depoimento no prazo de 72 horas. 

A decisão do ministro afirma que não se trata de censura prévia, o que é proibido pela Constituição Federal, com base na liberdade de imprensa. O caso, segundo Moraes, é de responsabilização posterior à publicação, uma hipótese prevista na legislação. A notícia foi baseada em informação supostamente divulgada pela Procuradoria-Geral da República ( PGR ), que teria desmentido o teor da reportagem. Ainda assim, a revista não retirou o texto do ar. Moraes considerou o caso uma “fake news”, conforme a decisão.

Em publicação desta segunda-feira, a Crusoé classificou a decisão de "censura", disse que “reitera o teor da reportagem” e informa que ela foi escrita com base em um documento legal.

A decisão foi tomada no inquérito aberto por Toffoli no mês passado para apurar casos de ofensas e ataques ao STF e a seus integrantes. O caso, que é relatado por Moraes , está sob sigilo.