Tamanho do texto

Atacante brilhou com as camisas de Ponte Preta, Fluminense e São Paulo antes de se aposentar; na política, ele foi suplente de Onyx Lorenzoni

Washington
Photocamera
Washington foi anunciado como secretario no governo Bolsonaro

O ex-atacante Washington Stecanela Cerqueira, conhecido como "Coração Valente", é o novo secretário nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social (Snelis). A secretaria é vinculado ao Ministério da Cidadania após a extinção do Ministério do Esporte.

Leia também: Conheça Abraham Weintraub, economista e novo ministro da Educação de Bolsonaro

O craque deixou o futebol em 2011 e partiu para a carreira política. Ele se elegeu vereador em Caxias do Sul em 2012. Também na cidade gaúcha, ele ocupou o cargo de secretário municipal. Nas eleições de 2014, Washington candidatou a deputado federal pelo PDT, mas acabou não se elegendo e ficou como suplente.

O ex-artilheiro assumiu uma vaga na Câmara em novembro de 2018, quando o hoje ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni ,  se licenciou da casa para comandar a equipe de transição entre os governos Temer e Bolsonaro . Já na época, o ex-atleta se mostrou alinhado com o presidente eleito. 

"Eu tenho a minha linha de pensamento e acho que é muito da linha daquilo que vai ser traçado para o próximo governo", disse Washington, que já havia deixado carreira política para trás e estava tentando a sorte como treinador de futebol.

Relembre a carreira de Washington

Washington
Photocamera
Washington anunciou a aposentadoria aos 35 anos

Centroavante goleador, Washington começou a carreira no Caxias, mas começou a chamar a atenção dos torcedores em sua segunda passagem pela Ponte Preta, que começou em 2000. Pela Macaca, foi artilheiro do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil de 2001 e chegou a ser convocado para a seleção brasileira quando ainda vestia a camisa da equipe campineira.

Diagnosticado com um problema vascular que chegou a ameaçar sua carreira, o artilheiro ganhou dos torcedores o apelido de "Coração Valente". Após uma passagem pelo futebol turco e pelo Atlético-PR, o atacante partiu para o Japão, onde se tornou ídolo do Urawa Red Diamonds.

Leia também: "Ninguém afasta o filho do pai", diz Bolsonaro sobre prole participar do governo

Voltou ao Brasil em 2008, vestindo a camisa do Fluminense. Comandou, ao lado de Dodô, Leandro Amaral, Conca e Thiago Neves, uma das maiores equipes da história recente do Tricolor, que acabou deixando escapar a taça da Libertadores daquele ano nos pênaltis.

No ano seguinte, foi para o São Paulo onde, apesar de continuar fazendo gols, entrou na mira da torcida. Após a passagem conturbada, voltou para o Flu em 2010, onde foi titular na maior parte da campanha do título brasileiro. No início do ano seguinte, Washington anunciou sua aposentadoria do futebol.

    Leia tudo sobre: Futebol