Tamanho do texto

Bruno Garschagen ficou apenas dois meses no cargo, tendo sido nomeado em 30 de janeiro; subcomandante geral da PM-DF assume chefia de gabinete

Bruno Garschagen
Reprodução/Youtube
Assessor especial de Vélez no MEC, Bruno Garschagen foi exonerado nesta quinta-feira

A edição desta quinta-feira do Diário Oficial da União (DOU) trouxe novas mudanças no Ministério da Educação. Desta vez, a Casa Civil exonerou Bruno Garschagen, assessor especial e um dos integrantes mais próximos ao ministro Ricardo Vélez, e o chefe de gabinete do MEC.

Segundo informações do Blog Renata Cafardo no jornal Estado de São Paulo, Garschagen foi um dos responsáveis pelo envio de uma carta de Vélez às escolas de todo o país com o slogan usado na campanha de Bolsonaro, incluindo o pedido para que as crianças fossem filmadas cantando o Hino Nacional. Ainda não se sabe quem será o substituto no cargo.

Leia também: Ministro da Educação quer que livros didáticos neguem golpe militar de 1964

A demissão de  Garschagen , assinada por Onyx Lorenzoni , apenas dois meses depois de sua nomeação, é mais uma confirmação do momento turbulento vivido pelo ministro no comando do MEC. Indicado pelo filósofo Olavo de Carvalho, um dos homens de confiança do presidente Jair Bolsonaro, ele se  envolveu em mais de uma polêmica desde que assumiu a pasta.

O anúncio do tenente-brigadeiro Ricardo Machado Vieira como novo secretário-executivo do Ministério da Educação (MEC), a demissão do presidente do Inep, Marcus Vinicius Rodrigues, e as exonerações de Luís Antônio Tozi, Rubens Barreto da Silva e Iolene Lima foram outros dos episódios que complicaram a situação de Vélez junto ao governo.

DOU desta quinta traz exoneração

"O MINISTRO DE ESTADO CHEFE DA CASA CIVIL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, no uso de suas atribuições e tendo em vista o disposto no art. 2 o do Decreto n o 8.821, de 26 de julho de 2016, resolve:

  • Nº 1.500- EXONERAR - BRUNO MEIRELLES GARSCHAGEN do cargo de Assessor Especial do Ministro de Estado da Educação, código DAS 102.5, a partir de 2 de abril de 2019.
  • Nº 1.501- EXONERAR - JOSIE PRISCILA PEREIRA DE JESUS do cargo de Chefe de Gabinete do Ministro de Estado da Educação, código DAS 101.5.
  • Nº 1.502- NOMEAR - MARCOS DE ARAÚJO, para exercer o cargo de Chefe de Gabinete do Ministro de Estado da Educação, código DAS 101.5."

Mais um militar no MEC

Outra mudança importante acontece no cargo de chefe de gabinete do Ministério da Educação. Ex-funcionário do Centro Paula Souza, Josie de Jesus também foi exonerada e será substituída por Marcos de Araújo , que já foi subcomandante geral da Polícia Militar do Distrito Federal e professor da Academia dos Bombeiros de Brasília.

Josie teve vida mais curta do que Garschagen: nomeada no último dia 11 de março, ela não ficou no cargo nem um mês completo. Assim, as posições próximas do ministro Ricardo Vélez vão sofrendo mais e mais modificações e enfraquecendo sua figura junto ao governo.

Leia também: Ministro da Educação gastou mais de R$ 75 mil com diárias e mudanças em 59 dias