Tamanho do texto

Pastor citou artigos da Constituição e afirmou que vice-presidente cometeu crime de responsabilidade por contradizer Bolsonaro em suas declarações

undefined
Reprodução/Agência Câmara
Deputado Marco Feliciano atacou Mourão e o chamou de "desleal"

Aliado de Bolsonaro, o pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC) atacou, nesta quarta-feira (3), o vice-presidente Hamilton Mourão, a quem chamou de "desleal". O parlamentar acusou Mourão de cometer crime de responsabilidade por declarações que contradizem as do presidente. 

Em sua conta do Twitter, Feliciano comentou a polêmica envolvendo um vídeo que exalta o golpe militar de 1964, divulgado pelo Planalto no último domingo. Após a polêmica, o vice-presidente afirmou que o vídeo havia sido enviado por decisão de Bolsonaro. Entretanto, ontem ele voltou atrás e disse que o presidente não sabia da divulgação do conteúdo. 

"Até quando, @GeneralMourao, abusarás da nossa paciência? Depois de culpar injustamente o presidente @jairbolsonaro pela divulgação de um vídeo, agora corrige o presidente em público com a questão do nazismo, mais uma vez minando a autoridade presidencial. Muita deslealdade!", escreveu o deputado. 

Questionado sobre a declaração de Bolsonaro após visitar o museu do Holocausto em Israel, em que disse que o nazismo "é de esquerda" , Mourão afirmou que "de esquerda, é o comunismo" e que ambos são "faces de uma moeda só, o totalitarismo". 

Para o pastor, o comportamento do vice-presidente é "desleal, indigno, desonroso e indecoroso". "Nunca vi vice falar tanto. Desde janeiro, contradiz o tempo todo seu superior. Sua conduta é desleal/indigna/desonrosa e indecorosa! Vice também sofre impeachment : é crime de responsabilidade proceder de modo incompatível com a dignidade, a honra e o decoro do cargo", atacou. 





O deputado ainda citou os artigos 51 e 52 da Constituição, que preveem que compete ao Senado e à Câmara dos Deputados processar, julgar e instaurar um processo contra presidentes e vices em casos de crime de responsabilidade.  "Art. 9º São crimes de responsabilidade contra a probidade na administração: 7 - proceder de modo incompatível com a dignidade, a honra e o decôro do cargo", completou. 

Leia também: Mourão chama abertura de escritório em Jerusalém de "passo intermediário"

Por fim, Feliciano afirmou que Mourão, por ser general do Exército, "deveria saber respeitar a hierarquia" da administração pública. Recentemente, o vice-presidente vem sendo criticado por suas declarações entre aliados do governo. Em março, Olavo de Carvalho, considerado o "guru" do presidente, afirmou que Mourão é "um cara idiota" e que "o despreza". 


    Leia tudo sobre: impeachment