Tamanho do texto

Porta-voz confirmou que o presidente vai voltar horas mais cedo que o programado da sua viagem a Israel; Bolsonaro quer ir a país árabe em breve

undefined
Alan Santos/PR
Presidente da República, Jair Bolsonaro, durante entrevista à TV Record, no hotel King David, em Israel

O presidente da República, Jair Bolsonaro, decidiu antecipar o seu retorno ao Brasil e encerrar, mais cedo que o previsto, a sua viagem por Israel. A informação foi confirmada pelo porta-voz do presidente, o general Otávio Rêgo Barros. Segundo Barros, Bolsonaro voltará ao País na manhã desta quarta-feira (3), duas horas antes do voo que havia anunciado.

Leia também: Hamas critica visita de Bolsonaro a Israel e pede reação de países árabes

Ainda de acordo com Barros, o presidente já confirmou que vai visitar um outro país nos próximos meses e, embora a agenda ainda não esteja confirmada, espera-se que a nação seja árabe. A viagem de Bolsonaro a Israel é a terceira internacional que ele fez desde que assumiu a Presidência. Antes dela, o presidente foi ao Chile e aos Estados Unidos. 

"Estas interlocuções estão sendo conduzidas, nós ainda precisamos fechar a agenda. Mas ele já esboçou perante sua equipe, particularmente ao nosso Itamaraty, o interesse de visitar sim um país árabe", disse o porta-voz, ao jornal Folha de S.Paulo . Barros avisou que, em vez de embarcar às 11h40 no horário local (5h40, no horário de Brasília), Bolsonaro vai entrar em um avião às 9h30 (3h30, em Brasília). Com isso, ele chegará na capital brasileira às 18h40.

Leia também: Mourão chama abertura de escritório em Jerusalém de "passo intermediário"

Hoje, o presidente tomou café da manhã com dirigentes de empresas israelenses e dos países. Ele tem encontro com empresários e visita uma exposição de produtos de empresas de inovação. Às 12h30, almoça com empresários. Ainda hoje, Bolsonaro visita a exposição "Flashes of Memory - Fotografia durante o Holocausto", no Yad Vashem, Centro Mundial de Memória do Holocausto.

O presidente iria visitar a cidade de Raanana, a 20 km de Tel Aviv , para um encontro com cerca de 250 brasileiros, mas o evento foi transferido para Tel Aviv. Segundo o porta-voz, não houve uma "mudança de agenda", só ajustes logísticos por questões de segurança e para aliviar o cansaço do presidente.

Leia também: Bolsonaro posa com arma e critica lei do desarmamento durante viagem a Israel

"Por questões logísticas, nós estamos trazendo cerca de 25 brasileiros que moram naquela comunidade aqui, hoje (2) à noite às 18h (meio-dia em Brasília), com a finalidade de o presidente estreitar os laços e ao mesmo tempo, antecipar o nosso retorno amanhã", disse o general. O porta-voz disse ainda que "no dia seguinte, Bolsonaro já tem agendado uma série de encontro com parlamentares" em Brasília e, por isso, deve deixar Israel mais cedo que o previsto.