Tamanho do texto

Ministro do STF que assina prefácio de livro escrito por Sérgio Moro e Deltan Dallagnol defendeu ideias do ministro da Justiça nesta segunda-feira (1º)

undefined
José Cruz/Agência Brasil
Sérgio Moro ganhou apoio de Luis Roberto Barroso pela aprovação do pacote anticrime


O ministro da Justiça e Segurança Pública ganhou um apoiador importante na sua luta pela aprovação do pacote anticrime. Em evento para o lançamento do livro Corrupção: Lava Jato e Operações Mãos Limpas, escrito pelo próprio Moro e pelo procurador Deltan Dallagnol, o ministro do Supremo Tribunal Federal, Luis Roberto Barroso, declarou que as medidas são prioritárias e devem ser aplicadas o quanto antes.

Leia também: 1º de abril! Relembre fatos históricos reais que aconteceram no Dia da Mentira

De acordo com Barroso, o pacote anticrime é importante e visa dar mais igualdade para acabar com a impunidade e punir quem realmente faz o que é incorreto.

“O pacote é importante e prioritário. O princípio da igualdade precisa ser aplicado. O Estado brasileiro foi apropriado por uma elite extrativista que impede a criação de algumas instituições que incluam outros extratos. A justiça precisa servir para todos”, disse o ministro do STF.

Assim como Sérgio Moro , Barroso defende que o crime de caixa dois precisa ser separado do pacote e que, antes, é preciso discutir a diferença de quem usa a verba para a campanha ou apenas para benefício pessoal.

Leia também: Moro fala sobre o futuro da Lava Jato e o pacote anticrime em evento em SP

“Não é para onde vai [o dinheiro] que importa, mas de onde vem, de uma cultura de achaque e desonestidade”, defende Barroso.

Na última sexta-feira (29), o ministro do STF defendeu a execução imediata da pena após a execução penal por um tribunal de júri.

"O índice de reforma de decisões do tribunal do júri é ínfimo. Se o relator achar que tem margem para reformar, ele suspende a execução. Mas a regra deve ser o cumprimento imediato da decisão", disse durante um seminário.

Leia também: Moro e Maia selam a paz em café da manhã promovido por Joice Hasselmann

O pacote anticrime de Sérgio Moro já foi enviado à Câmara e ao Senado e depende da aprovação de ambas as Casas para entrar em vigor. A tendência é que as votações em plenários aconteçam ainda no primeiro semestre.

*Com informações da Agência Brasil