undefined
Alan Santos/PR - 15.12.17
Carlos Marun é considerado um dos homens de confiança do ex-presidente Michel Temer

Considerado o fiel escudeiro de Michel Temer durante o mandato do emedebista como presidente da República, o ex-ministro-chefe da Secretaria do Governo, Carlos Marun, foi autorizado a visitar o ex-presidente na Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro.

Leia também: Temer passa primeira noite na prisão e deve prestar depoimento à PF hoje

Em teoria, por não estar cadastrado como um dos advogados responsáveis pela defesa de Temer , Marun não poderia ter conversado com o amigo. Na saída, o ex-ministro falou rapidamente com a imprensa e voltou a criticar a prisão do colega de partido.

"O presidente encontra-se, obviamente, surpreso, indignado. É um homem que tem conhecimento jurídico, conhece o direito e sabe da absoluta improcedência, irrazoabilidade e ilegalidade da decisão judicial que determinou a prisão preventiva", disse Marun. O ex-deputado também afirmou que Temer está sendo "tratado com dignidade".

Mais cedo, quando ficou sabendo da prisão, Marun já havia disparado contra a investigação. "É uma prisão desnecessária, ilegal e inexplicável. Afirmo sem medo de errar que isto foi um exibicionismo do Judiciário", disse.

Marun é considerado um dos homens de confiança de Temer. No seu último dia de mandato, o ex-presidente fez questão de exonerar o então ministro e nomeá-lo como conselheiro da Itaipu Binacional, cargo que ele manterá até maio de 2020.

Entenda a prisão de Michel Temer

undefined
undefined
Michel Temer foi detido em São Paulo, mas foi encaminhado à sede da Polícia Federal do Rio de Janeiro

Na manhã de ontem, a força-tarefa da Lava Jato do Rio de Janeiro prendeu o ex-presidente quando ele saia de sua casa . O mandado de prisão foi assinado pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

Segundo a força-tarefa da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro, ele é o "líder de uma organização criminosa" e que se valeu de duas décadas atuando em cargos públicos para "transformar os mais diversos braços do Estado brasileiro em uma máquina de arrecadação de propinas".

Leia também: "Cada um que responda pelos seus atos", diz Bolsonaro sobre Temer

As afirmações constam do pedido de prisão preventiva do ex-presidente e de mais sete pessoas (outras duas foram alvos de prisão temporária). A prisão de Michel  Temer  tem relação com irregularidades em contratos para a construção da usina nuclear de Angra 3. Segundo as investigações, o esquema criminoso envolvia pagamentos (alguns desviados, outros efetuados, e mais outros prometidos) que superam R$ 1, 8 bilhão.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários