undefined
Divulgação/Planalto
Governo Bolsonaro registrou queda de aprovação após polêmicas

Após uma semana recheada de polêmicas, o governo Bolsonaro teve queda de aprovação junto à população, de acordo com a pesquisa XP/Ipespe, que ouviu pessoas entre os dias 11 e 13 de março. 

Leia também: Eduardo Bolsonaro ajudaria o governo "parando de falar asneira", diz Malafaia

De acordo com o levantamento, as avaliações "ótimo" ou "bom" do governo Bolsonaro caíram de 40% em fevereiro para 37% desde fevereiro, enquanto as notas "ruim" ou péssimo" saltaram de 17% para 24% no mesmo período. Já o grupo de eleitores que veem o governo como "regular" se manteve em 32%, enquanto 8% não souberam ou não quiseram opinar.

A expectativa de um mandato com gestão positiva também registrou queda: de 60% para 54%. Já os que acredritam em uma administração ruim ou péssima subiram de 15% para 20%.

Grande polêmica do primeiro trimestre do atual governo, a publicação do presidente nas redes sociais com um vídeo obsceno foi um assunto que mexeu com o eleitorado. De acordo com o levantamento, 72% dos entrevistados tomaram conhecimento da postagem e 59% a acharam inadequada. Outro assunto que causou repercussão nos últimos dias, a crise no Ministério da Educação não foi citada.

Já a reforma da Previdência , pauta prioritária do governo, seguiu com o mesmo índice de aprovação do mês de fevereiro, com 62% dos entrevistados dizendo que a mudança é "necessária".

A pesquisa XP/Ipespe foi feita por telefone e ouviu 1.000 entrevistados em todas as regiões do país. Os questionários foram aplicados por entrevistados e submetidos a fiscalização posterior. O nível de confiança é de 95,45%, o que significa que, se o questionário fosse aplicado mais de uma vez no mesmo período e sob as mesmas condições, esta seria a chance de o resultado se repetir dentro da margem máxima de erro, estabelecida em 3,2 pontos percentuais.

Bolsonaro se reunirá com Trump

undefined
Alan Santos/Presidência da República
Jair Bolsonaro desembarcou em Washington no fim da tarde do domingo (17)

O presidente brasileiro chegou à capital americana por volta das 16h (horário de Brasília). Pelo Twitter, Bolsonaro disse que a ida aos EUA visa a busca de uma "parceria pela liberdade e prosperidade". "Brasil e Estados Unidos juntos assustam os defensores do atraso e da tirania ao redor do mundo. Os quem têm medo de parcerias com um País livre e próspero? É o que viemos buscar!", publicou.

Leia também: Eduardo Bolsonaro diz ter "vergonha" de brasileiros ilegais nos EUA

O encontro entre Jair Bolsonaro e Donald Trump  será realizado na terça-feira (19), na Casa Branca. O presidente brasileiro adiantou ao longo dos últimos dias que buscará a assinatura de três acordos com o americano. Um deles é um acordo de salvaguardas tecnológicas (AST), que permite o uso comercial da base de lançamento de Alcântara (MA).

    Veja Também

      Mostrar mais