Presidente Jair Bolsonaro publicou foto com Olavo de Carvalho e integrantes de comitiva em Washington
Reprodução/Twitter
Presidente Jair Bolsonaro publicou foto com Olavo de Carvalho e integrantes de comitiva em Washington

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), participou de jantar na noite deste domingo (17) com o embaixador brasileiro em Washington, Sérgio Amaral. Este foi o primeiro compromisso do presidente na capital americana , onde Bolsonaro se reunirá no início desta semana com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. 

Amaral integra uma lista de embaixadores que devem ser substituídos por Jair Bolsonaro nos próximos meses. Na última quarta-feira (13), o presidente disse, em evento com jornalistas, que efetuaria a troca de peças do corpo diplomático brasileiro para melhorar a imagem do País no exterior.

Também participaram do jantar nesta noite alguns dos ministros que integram a comitiva de Bolsonaro nos EUA e também um dos filhos do presidente, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ).

Nas redes sociais, Bolsonaro publicou ainda uma foto ao lado do filósofo e ideológo Olavo de Carvalho, tido como guru intelectual do governo, que mora nos Estados Unidos . No registro está também o ministro de Relações Exteriores, Ernesto de Araújo, que é um dos integrantes da comitiva do presidente na visita a Washington e que chegou à condição de ministro justamente por recomendação de Olavo.

Além de Ernesto, foram também aos EUA os ministros Paulo Guedes (Economia), Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública), general Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Tereza Cristina (Agricultura), Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia) e Bento Albuquerque (Minas e Energia).

Leia também: Eduardo Bolsonaro diz ter "vergonha" de brasileiros ilegais nos EUA

O presidente brasileiro chegou à capital americana por volta das 16h (horário de Brasília). Pelo Twitter, Bolsonaro disse que a ida aos EUA visa a busca de uma "parceria pela liberdade e prosperidade". "Brasil e Estados Unidos juntos assustam os defensores do atraso e da tirania ao redor do mundo. Os quem têm medo de parcerias com um País livre e próspero? É o que viemos buscar!", publicou.

Você viu?

O encontro entre Bolsonaro e Donald Trump  será realizado na terça-feira (19), na Casa Branca. O presidente brasileiro adiantou ao longo dos últimos dias que buscará a assinatura de três acordos com o americano. Um deles é um acordo de salvaguardas tecnológicas (AST), que permite o uso comercial da base de lançamento de Alcântara (MA).

Tal acordo prevê que os Estados Unidos possam lançar satélites, foguetes e mísseis da base maranhense, ainda que o território continue sob a jurisdição brasileira. Bolsonaro já defendeu a medida em um pronunciamento ao vivo em rede social. De acordo com o presidente, o Brasil está "perdendo dinheiro" há muito tempo por não explorar a base de forma comercial.

Bolsonaro também deve tentar anunciar o fim da exigência de visto para turistas dos Estados Unidos, Canadá, Japão e Austrália que visitarem o Brasil. A Presidência ainda não confirmou oficialmente a medida.

Além disso, a crise na Venezuela também deve ser um tema da conversa entre os presidentes. Brasil e EUA estão entre os países que não reconhecem a legitimidade do governo de Nicolás Maduro e consideram o líder opositor Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela.

Leia também: Bolsonaro diz que ainda não recebeu projeto para aposentadoria dos militares

Segundo a agenda oficial do presidente, Jair Bolsonaro tem amanhã uma audiência com o ex-secretário do Tesouro dos EUA Henry Paulson, às 15h30; depois participa de cerimônia para assinatura de atos, às 17h; e por fim participa de jantar, às 19h30, oferecido pelo Conselho Empresarial Brasil-Estados Unidos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários