Tamanho do texto

Presidente da legenda nega envolvimento com propina e lavagem de dinheiro; endereços do senador foram alvos de mandados de busca

Senador Ciro Nogueira (PP-PI) foi alvo de mandados de busca e apreensão cumpridos pela PF nesta sexta-feira
Moreira Mariz/Agência Senado - 9.9.14
Senador Ciro Nogueira (PP-PI) foi alvo de mandados de busca e apreensão cumpridos pela PF nesta sexta-feira

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta sexta-feira (22), uma operação batizada de Compensação, que tem como objetivo investigar supostos crimes de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro. O principal alvo da operação é o presidente do PP, o senador Ciro Nogueira, eleito pelo Piauí.

Leia também: PF faz buscas em endereços ligados ao senador Ciro Nogueira no Piauí

A operação foi autorizada pela ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber. Isso porque o inquérito que investiga Ciro Nogueira foi aberto no STF em setembro do ano passado, por uma decisão do ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato.

Ao todo, sete mandados de busca e de apreensão foram cumpridos nesta sexta-feira, por cerca de 30 policiais federais. Os mandados foram cumpridos nas cidades de Teresina (PI), e São Paulo (SP) e Brasília (DF). As buscas policiais foram realizadas em residências e sedes de duas empresas ligadas ao senador.

Leia também: PF faz buscas nos gabinetes do deputado Eduardo da Fonte e senador Ciro Nogueira

O objetivo desse inquérito é investigar o presidente do PP, o ex-ministro e atual prefeito de Araraquara, Edinho Silva (PT) e os executivos da J&F Joesley Batista e Ricardo Saud. Os quatro citados são acusados de envolvimento em crimes de corrupção e em uma suposta  lavagem de dinheiro .

Quando o inquérito foi aberto, o empresário Joesley Batista disse, por meio de advogados, que a a sua abertura se deu com base em documentos apresentados pelos colaboradores em agosto de 2017, reforçando um acordo de colaboração premiada. Já o executivo Ricardo Saud não se manifestou na ocasião.

Leia também: Joesley Batista diz à PF que enviou mala com R$ 500 mil ao senador Ciro Nogueira

Edinho Silva afirmou que agiu dentro da legalidade e de forma ética. O senador Ciro Nogueira , por sua vez, disse que as acusações contra ele são infundadas e absurdas, motivo pelos quais não se sustentam. Ele disse também que confia plenamente na Justiça para esclarecer os fatos e trazer à tona a verdade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas