Tamanho do texto

Carregando laranjas, os parlamentares pediram a demissão do ministro do Turismo, suspeito de ligação com esquema de candidaturas de fachada

Deputados do PSOL fizeram protesto carregando laranjas na Câmara
Reprodução/Twitter
Deputados do PSOL fizeram protesto carregando laranjas na Câmara

Enquanto Jair Bolsonaro entregava a  nova proposta de reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, parlamentares do PSOL organizaram um protesto contra o presidente nesta quarta-feira (20). Os opositores fizeram críticas às supostas candidaturas laranjas do PSL, partido do presidente, e pediram a demissão do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. 

Leia também: Ministério do Turismo atribui esquema de corrupção a gestões petistas 

Carregando laranjas e usando aventais da mesma cor, os parlamentares diziam "hoje tem laranjada?" e "Bolsonaro mente", em coro. Entre os deputados do PSOL que organizaram o protesto estavam Marcelo Freixo (RJ), Ivan Valente (SP) e Sâmia Bonfim (SP). 

Os psolistas fizeram referência às suspeitas de que o PSL usou candidaturas laranjas em Pernambuco e em Minas Gerais durante as eleições. As suspeitas decorrem de altos repasses do fundo partidário para candidatas que não fizeram campanha e receberam um número insignificante de votos. 

Em sua conta do Twitter, o deputado Marcelo Freixo publicou uma foto segurando uma laranja e ironizando o presidente. "Recepcionando o presidente hoje na Câmara de um jeito cordial, sabemos como eles gostam de laranjas!", escreveu.




A polêmica envolvendo candidaturas de fachada também foi ponto de partida para a crise que levou à demissão do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno , que era presidente do PSL no período eleitoral e teria autorizado esses repasses. 

Os deputados ainda pediram a demissão do ministro do Turismo, que também estaria envolvido no esquema. Segundo uma então candidata do PSL , Clauzenir Barbosa, Marcelo Álvaro Antônio estava ciente dos repasses. 

“Era o seguinte: nós mulheres iríamos lavar o dinheiro para eles. Esse era o esquema. O dinheiro viria para mim e retornaria para eles”, disse. Ela ainda acusou assessores do ministro de ameaça. A pasta negou as acusações. 

Leia também: Janaina Paschoal pede afastamento de ministro do Turismo

Na tarde desta quarta-feira, Bolsonaro tem uma reunião com Álvaro Antônio, mas o assunto não foi divulgado pela assessoria. Diante deste cenário, o PSOL e outros partidos de oposição questionam o fato de Bebianno ter sido demitido enquanto o ministro do Turismo continua no cargo. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas