Tamanho do texto

Marcelo é acusado de participar de um suposto esquema de laranjas para desviar verba do Fundo Partidário; deputada diz que afastamento é prudente

Apesar das críticas, Janaina Paschoal parabenizou o presidente por “determinar a investigação dos fatos
Reprodução/ Facebook
Apesar das críticas, Janaina Paschoal parabenizou o presidente por “determinar a investigação dos fatos

A deputada estadual por São Paulo Janaina Paschoal (PSL) pediu nesta terça-feira (19), por meio de sua conta no Twitter, o afastamento do ministro do Turismo Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG). Para a parlamentar, seria “prudente” afastá-lo do cargo por conta das recentes denúncias envolvendo o ministro.

De acordo com uma matéria do jornal Folha de S.Paulo , Marcelo seria integrante de um esquema irregular para lançar candidatos "laranjas", nas eleições, e assim desviar verbas eleitorais do Fundo Partidário, beneficiando-se do sistema. “Diante dos relatos que não param de surgir, assombrando a eleição do Ministro, penso que seria prudente afastá-lo, para que ele tenha melhores condições de comprovar sua inocência” escreveu Janaina Paschoal .

“Esse afastamento não implica reconhecer culpa. Significa apenas preservar a coisa pública”, afirmou a deputada.

No texto, a parlamentar afirma que não conhece o ministro do Turismo , mas acredita que ele seja uma boa pessoa. “Quero deixar muito claro que não estou fazendo nenhum juízo de valor sobre eventual culpa de quem quer que seja”, ressaltou.

“A manutenção do Ministro do Turismo está fazendo o Governo pagar um preço muito elevado e, salvo melhor juízo, tal preço não se justifica. Os relatos contra o Ministro são consistentes e, até o momento, as explicações não foram satisfatórias”, avaliou.

Apesar das críticas, Janaina parabenizou o presidente Jair Bolsonaro por “determinar a investigação dos fatos envolvendo supostos ‘laranjas’”. No entanto, afirmou que a investigação leva tempo e o Governo não teria esse prezo. “Afasta, sem fazer juízo de valor, e permite ao país virar esta página”, concluiu.

No último sábado (16), a deputada criticou a falta de clareza sobre a exoneração do então ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, e ressaltou que “um líder precisa adotar critérios minimamente claros”.

A demissão do ministro ocorreu após ele ser acusado de participar de um suposto esquema de candidatos laranjas do PSL , quando era presidente do partido. Ele também teria mentido sobre ter conversado com o presidente Jair Bolsonaro sobre o assunto.

“Se é verdade que Bebbiano [Bebianno] está saindo por um eventual envolvimento com as supostas laranjas, outro membro da equipe citado em situação ainda mais problemática deve ser afastado também”, escreveu Janaina, referindo-se ao ministro do Turismo.

Leia também: Ministério do Turismo atribui esquema de corrupção a gestões petistas

“Uma vez mais, não estou defendendo ou acusando quem quer que seja, estou preocupada com o engessamento de um país que já não aguenta mais. Crises, por força de questões substanciais, infelizmente, já fazem parte de nossa história. Crise por falta de definição não pode haver”, defendeu Janaina Paschoal , no sábado.